Times
Impostos

Declaração completa do Imposto de Renda: como funciona? Quando ela é vantajosa?

A declaração completa do Imposto de Renda é a opção ideal para aqueles que precisam reportar suas informações fiscais de forma abrangente e detalhada. Entenda como é feita a declaração completa do IR e confira um passo a passo para preenchê-la.

Compartilhar artigo
Data de publicação
30 de junho de 2023
Imagem de uma pessoa fazendo contas para representar a declaração completa do imposto de renda.

A declaração completa do Imposto de Renda é a opção ideal para aqueles que precisam reportar suas informações fiscais de forma abrangente e detalhada. Ou seja, se você tem diversas despesas dedutíveis e mais de uma fonte de renda, essa declaração é a mais indicada.

Uma das vantagens desse modelo é que, ao optar pela declaração completa, é possível reduzir o valor do imposto incidente e otimizar suas obrigações fiscais. 

O que é a declaração completa do Imposto de Renda?

A declaração completa é uma modalidade de declaração do IR que permite ao contribuinte apresentar um panorama detalhado de suas informações financeiras, deduções e receitas. Nessa opção, é necessário fornecer todas as informações solicitadas pela Receita Federal, incluindo detalhes específicos sobre despesas, rendimentos e patrimônio. 

A modalidade é indicada para todos os contribuintes pessoas físicas que possuem mais de uma fonte de renda, têm despesas dedutíveis relevantes e desejam utilizar todas as possibilidades de redução do imposto devido. Essa declaração permite ainda uma análise mais abrangente e precisa da situação fiscal do contribuinte.

A declaração completa contempla uma série de informações financeiras detalhadas que devem ser fornecidas pelo contribuinte, como por exemplo rendimentos, despesas dedutíveis, bens e direitos, dívidas e ônus, ganhos de capital e dependentes. Além disso, tem limites de deduções diferentes quando comparada com a declaração simples.

  • Não dê dinheiro à Receita Federal à toa: você pode estar deixando de receber uma boa restituição do Imposto de Renda por algum equívoco na hora da declaração. Clique aqui e baixe GRATUITAMENTE um guia completo para não errar em nada na hora de acertar as contas com o Leão.

Limites para deduções da declaração completa

Para 2023, a Receita Federal definiu os seguintes limites de deduções para quem fizer a declaração completa:

  • Dedução por dependente: o limite de dedução por dependente é de R$ 2.275,08;
  • Despesas médicas: não há limite de dedução para despesas médicas. O contribuinte pode deduzir todas as despesas realizadas com saúde, incluindo consultas, exames, internações, planos de saúde etc.;
  • Despesas com educação: o limite de dedução é de até R$ 3.561,50 por pessoa, considerando despesas com educação infantil, ensino fundamental, médio, superior e pós-graduação;
  • Contribuição à previdência oficial: não há limite de dedução para contribuições à previdência oficial, como INSS.

Vale ressaltar que esses são apenas alguns exemplos de limites de deduções. É importante consultar a legislação atualizada para obter informações detalhadas sobre os limites vigentes em cada ano-calendário.

Qual a diferença entre a declaração completa e simplificada? 

A principal diferença entre a declaração completa e a declaração simplificada está relacionada à forma como as deduções são tratadas. Na declaração completa, o contribuinte informa todas as suas despesas detalhadamente, enquanto na declaração simplificada é aplicado um desconto padrão em substituição às deduções específicas.

Ou seja, a declaração completa é indicada para pessoas que possuem despesas dedutíveis mais elevadas e que desejam aproveitar todas as possibilidades de redução do imposto devido. Isso porque, nesse tipo de declaração, é necessário informar todos os gastos dedutíveis, como despesas médicas, educação, doações, entre outros. 

Já a declaração simplificada é mais vantajosa para quem não tem muitas despesas dedutíveis. Nesse caso, é aplicado um desconto padrão de 20% sobre os rendimentos tributáveis, limitado a R$ 16.754,34. O contribuinte abre mão de informar as despesas detalhadamente e recebe um desconto automático – simplificando a declaração.

É importante analisar qual opção é mais vantajosa para cada contribuinte, levando em consideração o valor das despesas dedutíveis e o desconto padrão oferecido na declaração simplificada. Em alguns casos, mesmo com despesas dedutíveis, a declaração simplificada pode ser mais benéfica devido ao desconto padrão. 

Quando optar pela declaração completa? 

Para decidir se a declaração completa é a melhor opção para voocê, é preciso analisar alguns cenários em que pode ser vantajoso optar por esse tipo de declaração:

  • Se você possui despesas dedutíveis relevantes, como altos gastos com saúde, educação, pensão alimentícia, contribuições previdenciárias ou doações;
  • Se você possui mais de uma fonte de renda, como múltiplos empregos, trabalhos autônomos ou aluguéis;
  • Se você teve ganhos de capital com a venda de bens, como imóveis, veículos ou investimentos;
  • Se você se enquadra em categorias que permitem deduções específicas, como despesas com dependentes, pensão alimentícia ou planos de previdência privada;
  • Se você deseja ter uma análise fiscal mais precisa e completa da sua situação tributária.

Qual a vantagem da declaração completa?

A declaração completa oferece diversas vantagens para aqueles que dispõem de despesas dedutíveis mais elevadas ou mesmo mais de uma fonte de renda. Confira as principais:

  • Deduções detalhadas: a declaração detalhada permite uma análise mais precisa e abrangente e ajuda a reduzir a base de cálculo do imposto devido;
  • Redução do imposto a pagar: com a declaração completa, é possível reduzir o valor do imposto, uma vez que as deduções podem ser abatidas do valor total dos rendimentos, resultando em uma base de cálculo menor;
  • Transparência e conformidade: ao fornecer todas as informações detalhadas, o contribuinte demonstra transparência e conformidade com as normas tributárias, evitando problemas futuros com o Fisco;
  • Análise fiscal mais precisa: é possível ter uma análise fiscal completa da situação tributária, sendo útil para identificar possíveis inconsistências, planejar futuras ações fiscais e tomar decisões financeiras mais informadas.

É importante lembrar que a vantagem da declaração completa varia de acordo com a situação específica de cada contribuinte. Alguns contribuintes podem ter despesas dedutíveis significativas, enquanto outros podem se beneficiar mais do desconto padrão oferecido na declaração simplificada.

  • Imposto de Renda sem complicações: não passe perrengue na hora de declarar o seu IR. Baixe de forma GRATUITA o guia completo que Seu Dinheiro, portal do grupo da Empiricus, preparou com todas as orientações que você precisa para fazer sua declaração à Receita sozinho. [É SÓ CLICAR AQUI]

Como fazer a declaração completa do IR? 

Confira um passo a passo sobre como fazer a declaração completa do Imposto de Renda:

  1. Organize seus documentos: reúna todos os documentos necessários para preencher sua declaração completa do Imposto de Renda. Isso inclui comprovantes de rendimentos, despesas dedutíveis, informações sobre bens e direitos, dívidas, ônus, entre outros;
  2. Acesse o programa da Receita Federal: baixe e acesse o Programa Gerador de Declaração (PGD) da Receita Federal, disponível no site oficial da entidade;
  3. Preencha seus dados pessoais: informe nome, CPF, data de nascimento, endereço, entre outros;
  4. Informe suas fontes de renda: insira os rendimentos obtidos ao longo do ano-calendário devido. Informe todas as fontes de renda, como salários, honorários, aluguéis e benefícios previdenciários. Certifique-se de fornecer as informações corretas e completas para cada fonte de renda;
  5. Detalhe suas despesas dedutíveis: informe todas as despesas dedutíveis que você teve ao longo do ano, como despesas médicas, educação, pensão alimentícia, contribuição à previdência oficial e doações;
  6. Declare seus bens e direitos: informe a posse de bens, como imóveis, veículos, investimentos, entre outros. Detalhe as aquisições e alienações realizadas no período, informando os valores e as datas correspondentes;
  7. Registre suas dívidas e ônus: informe empréstimos, financiamentos e outras dívidas que você possui, com informações referentes a cada dívida, como valores, instituições financeiras e condições contratuais;
  8. Inclua os dependentes: caso possua dependentes, como filhos ou cônjuges, insira os dados pessoais e financeiros de cada um deles;
  9. Realize os cálculos e verifique as informações: utilize as ferramentas disponíveis no programa para realizar os cálculos automáticos e revisar as informações fornecidas;
  10. Transmita a declaração: após finalizar o preenchimento e revisar todos os dados, transmita a declaração para a Receita Federal. Siga as instruções do programa para enviar a declaração de forma segura e de acordo com os prazos estabelecidos;
  11. Guarde os comprovantes: mantenha todos os comprovantes e documentos utilizados para preencher a declaração completa do IR. Eles podem ser solicitados pela Receita Federal em caso de eventuais verificações e fiscalizações.

É importante ressaltar que cada contribuinte pode ter situações específicas que demandam atenção adicional. Caso tenha dúvidas ou precise de auxílio durante o processo, consulte um profissional especializado em contabilidade ou um contador para obter orientações personalizadas e garantir que sua declaração completa seja feita corretamente.

Agora que você já sabe como funciona a Declaração Completa, que tal entender melhor como declarar seu Imposto de Renda? O Seu Dinheiro, portal do grupo da Empiricus, elaborou um guia exclusivo onde você confere as particularidades de cada ativo para não errar em nada na hora de se acertar com a Receita. Clique aqui para baixar o material gratuito.

Quais despesas podem ser deduzidas na declaração completa?

Na declaração completa é possível deduzir diversas despesas, como despesas médicas, educação, contribuições à previdência oficial, pensão alimentícia e doações. Cada categoria de despesa possui limites e regras específicas estabelecidas pela Receita Federal.

Qual é o prazo para fazer a declaração completa do Imposto de Renda?

O prazo para realizar a declaração completa do Imposto de Renda é determinado anualmente pela Receita Federal. Para 2023, a declaração deve ser feita entre 15 de março e 31 de maio. É importante ficar atento aos prazos para evitar multas e problemas com a Receita Federal.

Quem deve fazer a declaração completa em vez da declaração simplificada?

A opção entre a declaração completa e a simplificada depende das despesas e da situação financeira de cada contribuinte. Em geral, a declaração completa é indicada para aqueles que possuem despesas dedutíveis significativas, mais de uma fonte de renda, ganhos de capital, entre outros fatores que justifiquem a opção pela modalidade mais detalhada.

Existe um limite máximo de dedução na declaração completa?

Em algumas categorias de despesas, como dedução por dependente e despesas com educação, existem limites máximos de dedução estabelecidos pela Receita. No entanto, em outras categorias, como despesas médicas e contribuições à previdência oficial, não há limites de dedução, permitindo que o contribuinte informe todas as despesas realizadas.

Posso retificar a declaração completa após o envio?

Sim, é possível retificar a declaração completa após o envio, caso você perceba erros ou omissões nas informações fornecidas. Para isso, utilize o programa da Receita Federal e faça as correções necessárias. É importante lembrar que a retificação deve ser feita dentro do prazo estabelecido pela Receita e que ela substituirá integralmente a declaração original.