Times
Mercado

Investir em ouro vale a pena? Entenda como funciona e como investir

Investir em ouro é uma possibilidade utilizada por investidores que buscam proteção de capital. Entenda como investir em ouro e se isso vale a pena.

Por Equipe Empiricus

2 de março de 2023, 09:26

Imagem representando o investimento em ouro, mostrando um cofre de ouro no formato de porquinho.

Uma coisa que as pessoas fazem há muito tempo é investir em ouro, muito antes de existirem as formas de investimento que conhecemos agora. O metal já foi usado por diversas famílias ricas que queriam compor o seu patrimônio ou simplesmente fazer uma reserva de emergência para enfrentar tempos de crise.

Investir em ouro tornou-se mais fácil com o passar do tempo, pois você nem precisa mais sair de casa e também não há a necessidade de guardar o metal diretamente com você. Assim como acontece com ações, fundos de investimentos e o tesouro direto, você pode fazer tudo diretamente da tela do seu computador, sem enfrentar grandes burocracias. Mas será que ainda vale a pena?

Por que o ouro pode ser usado como investimento?

O ouro é um ativo antigo e sempre foi muito usado, antes mesmo dos investimentos obedecerem a lógica que conhecemos.

É possível encontrá-lo na bolsa de valores de diversas formas e o que o faz ser tão atrativo para muitos investidores são suas características únicas:

  • É um metal raro, com pouca oferta na natureza e, consequentemente, muito difícil de encontrar. Essa característica já explica bem porque o ouro tem preços tão elevados;
  • Ele não está diretamente relacionado a moedas estrangeiras, a outros produtos ou a qualquer fundo de investimento, como acontece com muitos ativos da bolsa de valores. Isso faz com que ele seja menos suscetível a variações bruscas ocasionadas por outros produtos, como o petróleo.

Esses aspectos transformam o metal em uma ótima forma para quem quer proteger a carteira de investimentos. Pois suas características fazem com que ele se comporte de maneira única.

Por exemplo, em épocas de graves crises, quando as ações de diversas empresas despencam, o preço do ouro tende a subir já que ele costuma trabalhar de forma inversa ao mercado.

É bem fácil de entender os motivos por trás desse comportamento. Basicamente, a cotação do ouro varia de acordo com a oferta e demanda, ou seja, quanto mais pessoas buscam pelo metal, maior será o seu preço, e o contrário também é verdade.

Assim, como ele é muito usado para reservas de emergência e proteção aos investimentos, é comum que não receba tanta atenção quando tudo está bem e os negócios prosperam.

Mas nos momentos de instabilidade, quando os investidores estão se sentindo inseguros em relação ao futuro e o valor de ações importantes está em queda livre, mais pessoas buscam o ouro para se precaver, o que faz o seu valor subir.

Então, aqueles que procuram por uma maior estabilidade e querem se proteger das variações do mercado montam suas carteiras com ações, ouro e outros ativos.

Quais as vantagens de investir em ouro?

Investir em ouro traz diversas vantagens interessantes que costumam atrair muitos investidores. Veja algumas delas:

  • Proteção contra a inflação: esse metal tem uma longa história como uma forma de proteção contra a inflação. Quando os preços dos bens e serviços aumentam, seu valor tende a aumentar também. Isso ocorre porque o ouro é visto como uma forma segura de proteger o valor do seu dinheiro.
  • Diversificação da carteira: investir nesse metal pode ajudar a diversificar sua carteira e minimizar o risco geral. Ao diversificar, você pode se proteger contra oscilações de preço em outros ativos, como ações ou títulos;
  • Valor global: o ouro é reconhecido como um ativo valioso em todo o mundo, o que significa que é fácil de vender e negociar, independentemente de onde você esteja. Além disso, ele é aceito como forma de pagamento em muitos países;
  • Longo prazo: o ouro é um ativo de longo prazo que pode ser mantido por décadas ou até mesmo por várias gerações. Além disso, ele tem uma história comprovada de valorização ao longo do tempo.
  • Liquidez: esse metal é uma forma de investimento altamente líquida, o que significa que é fácil de vender e converter em dinheiro. O que pode ser uma vantagem importante em situações financeiras de emergência em que precisamos conseguir determinado valor de forma rápida;
  • Facilidade de investir: no passado era preciso comprar o ouro de forma física e armazená-lo em casa ou em algum lugar que a pessoa julgasse seguro. Mas obviamente isso não era muito prático. Entretanto, com os mercados de investimento e as facilidades da tecnologia, isso não é mais preciso, embora seja possível.

Quais as desvantagens de se investir em ouro?

Investir nesse metal também conta com diversas desvantagens, afinal, estamos falando em uma opção de renda variável. Por isso é importante entender que, embora seja seguro e vantajoso na maior parte do tempo, esse investimento envolve riscos que devem ser analisados com cautela pelo investidor.

Além disso, convém ressaltar que jamais devemos investir em um único ativo, pois a diversificação é uma forma de trazer mais segurança para a sua carteira.

  • Volatilidade: o preço pode ser volátil, o que significa que pode mudar rapidamente e significativamente em uma direção ou outra. Isso é uma desvantagem para investidores que não desejam correr o risco de perder dinheiro em curtos períodos de tempo;
  • Baixa rentabilidade: a rentabilidade histórica do metal é geralmente muito baixa em comparação com outros ativos, como ações e títulos. Isso significa que, a longo prazo, ele pode não ser tão rentável quanto outros ativos;
  • Custos de armazenamento: se você deseja fazer um investimento à moda antiga e guardar o metal precioso fisicamente, isso pode exigir que você pague por um local realmente seguro para armazená-lo. Além disso, se você precisar vendê-lo, pode haver taxas associadas à negociação;
  • Falta de renda: ao contrário de outros ativos, como títulos, o ouro não gera renda. Isso significa que você não pode esperar receber juros ou dividendos ao investir nesse metal;
  • Regulamentação: em alguns países existem restrições ou regulamentações sobre a compra e venda de metais e pedras preciosas. É importante verificar as leis e regulamentos locais antes de investir, assim você evita qualquer surpresa desagradável.

Como investir em ouro?

Você pode investir em ouro diretamente na B3. Há muitas opções disponíveis, além da forma clássica de investimento.

  • As 10 “top picks” da Empiricus Research: veja quais são os dez papéis recomendados pelos analistas da casa para buscar lucros na bolsa. Baixe aqui o relatório gratuito. 

Ouro físico

Sim, é possível comprar um pouco desse metal e guardá-lo embaixo da cama. Mas é claro que essa não seria a atitude mais sensata.

A primeira coisa a saber sobre esse tipo de compra é que o metal só pode ser vendido de forma legalizada por instituições autorizadas pelo Banco Central. Além disso, o investidor precisa se cadastrar para receber a autorização para ter esse metal em sua forma física.

Por fim, é fundamental encontrar um banco que seja capaz de guardar esse bem adquirido. Já que se você realmente decidir deixá-lo em casa estará mais sujeito a furtos e roubos.

Outro detalhe importante é que o ouro pode ser mais difícil de vender quando está em sua forma física.

ETF de ouro

Investir em ouro por meio de ETF (Exchange Traded Fund) é uma opção popular para aqueles que desejam exposição ao preço do ativo sem ter que se preocupar com armazenamento ou segurança. Isso pode ser feito seguindo os passos:

  1. Escolha um ETF de ouro: existem vários ETFs de ouro disponíveis, cada um com sua própria estrutura, taxas e desempenho. É importante fazer uma pesquisa cuidadosa para escolher o ETF que melhor atenda às suas necessidades;
  2. Abra uma conta em uma corretora: para investir em ETFs você precisará abrir uma conta de corretagem. Existem várias corretoras online que oferecem esse tipo de ativo;
  3. Faça a compra:  depois de abrir sua conta de corretagem, você pode comprar o ETF escolhido.

Por fim, você deve monitorar o desempenho do ativo para evitar perdas e estar por dentro de todas as movimentações.

Caso seja necessário, o investidor pode se desfazer do ETF.

Fundo de Investimentos em ouro

Você provavelmente já ouviu falar de fundos de investimentos. Eles são boas opções para quem deseja diversificar a carteira, mas não sabe exatamente o que escolher e como fazer uma administração vantajosa.

Os fundos são conhecidos por terem uma gestão profissional, que faz toda a parte burocrática e administrativa para tentar trazer os melhores resultados. Para participar, o investidor precisa apenas comprar uma cota deste fundo e arcar com as taxas necessárias, que podem variar em cada opção.

Então, basta escolher um fundo de investimentos que tenha foco no ouro para começar a investir nesse metal.

Contrato futuro de ouro

Os contratos futuros de ouro podem ser negociados na Bolsa de valores brasileira, a B3. Nesse tipo de negociação, é determinado um volume e o preço para uma data futura.

Assim é possível lucrar com as oscilações que ocorrem nesse período. Um fato interessante sobre esse tipo de investimento é que você pode optar pela compra ou venda futura de acordo com suas projeções sobre o comportamento do preço.

Mas é importante salientar que esse tipo de operação não é exatamente a forma mais segura de investir em ouro, já que uma escolha errada pode resultar em prejuízos.

Sobre o autor

Equipe Empiricus

A maior equipe de análise de investimentos do Brasil, 100% dedicada a te ajudar a encontrar as melhores oportunidades de investimento.