Empiricus 24/7

Mesmo jogo, diferentes jogadores

“Assim que o alvoroço do fechamento do pregão passou […]”.

Compartilhar artigo
Data de publicação
15 de julho de 2022
Categoria
Empiricus 24/7
O mesmo jogo
Fonte: Free Pik

Assim que o alvoroço do fechamento do pregão passou, Stephan Paternot ligou sua calculadora HP-12C.

Rapidamente apertou alguns botões e olhou o resultado na tela. O impressionante número fez sua cabeça girar. Nem em seus mais alucinantes sonhos poderia imaginar que algum dia teria 100 milhões de dólares em patrimônio. Muito menos que seria tão rico antes de completar 25 anos de idade.

Em um misto de euforia e incredulidade, Stephan Paternot tinha acabado de completar a abertura de capital de sua jovem empresa, a theGlobe.com.

O lançamento aconteceu no dia 13 de novembro de 1998, tendo sido o segundo IPO do então nascente e promissor setor de internet.

Muito antes de Facebok e Google, o theGlobe.com foi pioneiro na criação de uma comunidade virtual através de seus bulletin boards e salas de chats.

Sempre muito ágeis em antecipar tendências, bancos de investimentos disputavam, naquele ano, a primazia de coordenar as primeiras ofertas públicas iniciais das novas empresas de tecnologia.

Apesar de todo o hype da época, os bancos tinham dificuldades para fechar as operações. As condições de mercado estavam longe de serem amistosas em 1998, com investidores ainda ressentidos por conta de perdas com o calote da Rússia e a quebra do Fundo LTCM.

A primeira tentativa da Bear Stearns, o banco responsável pelo IPO do theGlobe.com, falhou. Após duas semanas de roadshow, o livro permanecia vazio de ordens. Como a empresa necessitava de capital, dada sua crescente queima de caixa, a sua própria viabilidade estava em jogo.

De repente, enquanto Paternot quebrava a cabeça em busca de alternativas de funding, tudo mudou. Para conter uma maior deterioração dos indicadores econômicos, o Federal Reserve promoveu um corte de juros de emergência. O novo estímulo monetário devolveu ânimo aos investidores, enchendo de ordens o livro do IPO.

Em poucos dias, os pedidos de reserva já acumulavam o equivalente a quinze vezes o volume de ações ofertado. Ávidos em fechar a operação, empresa e banco decidiram manter o preço da oferta, a 9 dólares por ação, em vez de reprecificá-lo para cima, o que envolveria um novo pedido de registro.

Com tamanha demanda insatisfeita, o dia da oferta transformou-se num verdadeiro estouro da boiada. O primeiro negócio, após o leilão de abertura, saiu a 87 dólares. Após fazer um pico de 97 dólares, a ações da theGlobe.com fechou seu primeiro dia de negociação a 63 dólares, fazendo de Paternot e seu sócio, jovens multimilionários.

O sucesso da sua estreia na Bolsa trouxe enorme atenção à empresa e transformou os seus fundadores em celebridades instantâneas, com a mídia os comparando a Steve Jobs e Bill Gates. 

Paternot tornou-se figurinha carimbada no circuito de talk-shows e programas de tv. Nas ruas e nos bares de Nova York, ele era assediado por mulheres que se diziam apaixonadas pelo jovem empresário.

Após o entusiasmo inicial passar, porém, o desafio de desbravar um novo mercado provou-se inatingível para Paternot e sua empresa. Diferente de hoje, havia pouquíssimos anunciantes na internet, o que fazia com que o modelo de negócios não parasse de pé.

Pouco mais de um ano após abrir o capital da empresa, e sentindo-se incompetente para gerir o negócio, Paternot afastou-se da suas funções de CEO.  

No ano seguinte, com as ações virando pó, a theGlobe.com teve seu valor de mercado reduzido a menos de 1 milhão de dólares. Envolto em dívidas, e sem capacidade de se sustentar financeiramente, Paternot se viu sem opção senão voltar a morar com os pais.

Conheci a breve história da theGlobe.com e Paternot no excelente podcast Odd Lot, produzido pela Bloomberg, que ouvi na semana passada, enquanto viajava com minha família ao interior de São Paulo.  

É o próprio Paternot, hoje um bem-sucedido empresário, quem narra sua explosiva trajetória, trançando interessantes paralelos com o momento atual de correção nos preços das ações de tecnologia.  

Interessante notar a não linearidade com que mercados precificam novos negócios, viabilizados e inviabilizados rapidamente, dependendo dos níveis de liquidez e apetite a risco correntes.

Segundo ele, seguimos rigorosamente o mesmo jogo de 30 anos atrás, só que com novos jogadores e apostas maiores.

Encerro convidando você para ouvir um outro podcast sobre uma jovem de sucesso rápido.

Neste sábado vai ao ar o último episódio da terceira temporada do Mesa pra Quatro, que apresento com Dan Stulbach e Teco Medina.

A jovem convidada se chama Natalia Martins, também conhecida como Natalia Beauty, e ela nos conta sua impressionante transformação de recém-separada e endividada para uma empresária de sucesso no setor de estética e beleza além de ser um fenômeno das redes sociais, com mais de 10 milhões de seguidores em sua conta no instagram.

Deixo você agora com os destaques da semana.

Boa leitura e um abraço.