Reformando o Brasil

Pronto. Pode enquadrar a tabela abaixo. Foi um mês de janeiro incrível para quem topa risco nos seus investimentos, especialmente para os entusiastas da renda variável. […]

Reformando o Brasil

Pronto. Pode enquadrar a tabela abaixo.

Foi um mês de janeiro incrível para quem topa risco nos seus investimentos, especialmente para os entusiastas da renda variável.
Em dólar, o Ibovespa, o principal índice da Bolsa brasileira, subiu cerca de 17 por cento, superando a expectativa dos mais otimistas.

Até “pessimildos” convictos estão sorrindo agora.

Durante uma apresentação dentro do evento do Credit Suisse aqui em São Paulo, Rogério Xavier, da SPX Capital, e Luis Stuhlberger, da Verde Asset, sempre tão negativos quanto às perspectivas dos mercados brasileiros, vestiram a camisa canarinho e mostraram um raro entusiasmo com as nossas potencialidades econômicas.

Realmente, o ministro Paulo Guedes, historicamente ligado ao setor de educação, vem dando verdadeiras aulas de liberalismo em suas declarações, palestras e entrevistas.

Que alívio ter um especialista como ele no comando da pasta econômica, anteriormente ocupada por desgraças como Nelson Barbosa e Guido Mantega, este último o mais longevo ministro da Fazenda do Brasil (que Deus tenha piedade de nós).

 

Leitura recomendada

Luciana Seabra mostra como lucrou (e ajudou os leitores a lucrarem) muito com ações sem precisar comprar ações. Ela ensina os assinantes da sua séria a investirem da mesma forma que os maiores investidores profissionais do mercado financeiro. E tudo depende de uma simples atitude, que pode te mostrar esse novo mundo de rentabilidade em menos de 24 horas. Veja aqui o recado que ela gravou.
 

Mas, voltando aos dias atuais, a equipe montada por Guedes é de primeiríssima linha. Para citar apenas alguns nomes:

Manteve Mansueto Almeida no comando das contas públicas, como secretário do Tesouro.

Trouxe o professor Marcos Cintra para chefiar a Receita Federal.

“Roubou” o nosso querido Marcos Troyjo, da Empiricus e da Crusoé, para comandar o Comércio Exterior.

E ainda chamou Roberto Campos Neto para o Banco Central e Salim Mattar para chefiar a nova Secretaria Geral de Desestatização (Privatizações).

Trata-se, sem dúvida, de um time de estrelas. Bem armado, com talento e experiência.

Agora, o craque que pode trazer o primeiro “caneco” para nós joga na Secretaria da Previdência e chama-se Rogério Marinho.

Não se iluda. Todo o esforço e dedicação dessa notável equipe será em vão caso não seja aprovada uma reforma robusta da Previdência. E Paulo Guedes não poderia ter escolhido ninguém melhor para comandar essa tarefa.

Rogério Marinho é político (foi deputado federal por dois mandatos) e economista. No seu último mandato, foi o relator da reforma trabalhista de Michel Temer. Marinho, sem dúvida, tem conhecimento técnico e bagagem política para conduzir o processo nos tortuosos corredores do Congresso Nacional.

A missão começa agora, com a posse dos novos legisladores. Cabe a nós, cidadãos brasileiros, empurrarmos e pressionarmos nossos representantes na direção correta.

E assim faremos.

Deixo você agora com os destaques da semana.

Um abraço e boa leitura!

Caio

P.S.: Para os leitores que têm interesse em ganhos mais rápidos, sugiro hoje que não deixem de ver o programa Acelerador de Ganhos, da Inversa. O objetivo é quadruplicar o dinheiro dos participantes. Veja o quanto antes, pois as vagas estão acabando, como você pode ganhar.