Investimentos

Conheça 3 REITs (‘fundos imobiliários’ americanos) preferidos do Felipe Miranda

Em novo relatório da série Palavra do Estrategista, o CEO e estrategista da Empiricus Felipe Miranda revela três REITs interessantes para investir no momento

Compartilhar artigo
Data de publicação
18 de maio de 2022
Categoria
Investimentos
vista panorâmica de Nova York
City Office REIT (CIO); BRT Apartments Corp. (BRT); Life Storage Inc (LSI): os 3 REITs preferidos de Felipe Miranda. Fonte: Pixabay

No novo relatório da série Palavra do Estrategista, o CEO e estrategista da Empiricus Felipe Miranda faz uma avaliação de alguns REITs (Real Estate Investment Trusts) incluídos em sua carteira de veículos imobiliários, sendo estes: City Office REIT (CIO); BRT Apartments Corp. (BRT); Life Storage Inc (LSI)

Os REITs são uma classe de ativos disponível nos Estados Unidos, que consiste em empresas que atuam no setor imobiliário. É como um “primo americano” dos nossos fundos imobiliários. 

Ele destaca que alguns REITs de qualidade podem ser alternativas interessantes de diversificação.

“Aproveitamos o momento delicado do mercado para começarmos o processo de avaliação de alguns nomes, em especial os de pequena capitalização de mercado, que podem se mostrar bastante convidativos no momento”, afirma o CEO.

3 REITs favoritos: 

1. City Office REIT (CIO)

O primeiro fundo comentado se trata de um reforço de posição. Com escritórios Triple A muito bem localizados em sete grandes cidades norte-americanas, o City Office é um fundo que foi recomendado em julho de 2021 e se mantém na carteira até atualmente.

O movimento se provou correto, visto que desde a recomendação, o papel chegou a subir 66% em sua máxima, em janeiro deste ano. “Desde então, o REIT foi bastante pressionado pelo mercado e, em nossa leitura, se tornou muito barato mais uma vez”, avalia Felipe.

Negociando a um cap rate (taxa de capitalização) de 9%, com custo de dívida de 3,5% e prazo longo de vencimento, o momento é uma oportunidade para reforçar a posição para aqueles que já possuem o papel ou comprá-lo pela primeira vez, segundo Felipe.

2. BRT Apartments Corp. (BRT)

Com pequena capitalização de mercado, o BRT é focado em imóveis residenciais do tipo “multifamily” (empreendimentos desenvolvidos com foco em locação) e é uma nova recomendação na carteira. 

A ideia é que ele substitua uma posição antiga da carteira também focada em residências, o Essex Property Trust (ESS).

O BRT foi fundado em 1972 e está sediado em Great Neck, Nova York. Em 2011, a empresa mudou seu foco para habitação multifamiliar.

Desde seu início, contudo, o BRT concentrou a maior parte dos seus ativos no sudoeste dos EUA e no Texas (Sunbelt), com algumas exceções, o que configura um diferencial em relação a seus pares.

“Falamos aqui de um REIT bastante diversificado e que tem vendido os ativos de baixo desempenho”, avalia o estrategista.

Ele complementa, ainda, que as tendências externas trabalham a favor da empresa. Dentre elas, cabe citar o aumento dos preços das casas, a elevação das taxas de aluguel e o menor número de compradores de casas devido ao aumento da inflação.

Esses fatores, por sua vez, são intensificados pelo bom crescimento orgânico e altas taxas de ocupação dos empreendimentos multifamiliares do BRT.

Ainda, a empresa negocia a aproximadamente 26% abaixo do valor líquido de seus ativos (NAV) e com um dividend yield superior a 4%.

“Para investidores que desejam obter exposição a residências multifamiliares, temos aqui um REIT estável com ótimo rendimento de dividendos”, avalia Felipe.

Além disso, o fundo é encontrado no mercado a 6,5% de cap rate contra seus pares, que negociam entre 4,5% e 5%, de modo que é visto como uma excelente oportunidade descontada segundo o analista.

Por fim, a empresa disponibilizou um resultado muito forte recentemente. O resultado operacional líquido (NOI) cresceu 15% na comparação anual, e o fundo de operações (FFO) aumentou 30% contra o mesmo período de 2021.

“Claro, talvez demore um pouco para subir, dado o estresse do mercado, mas como está muito descontado, entendemos que valha a pena”, finaliza Felipe.

3. Life Storage Inc (LSI)

De acordo com Felipe, o Life Storage é um dos REITs de mais alta qualidade no segmento em que atua. 

Considerando um hedge de inflação no mercado, o produto provou ser um dos REITs mais resilientes desde o início da crise da pandemia e está aumentando seus FFOs (fundos de operações) por unidade em ritmo acelerado, “sem sinais de fadiga no horizonte”, diz Felipe.

Fundado em 1985, opera mais de 1000 locais para self-storage em 34 estados americanos. Atende clientes residenciais e comerciais e possui uma ampla diversificação geográfica graças à sua expansão para a Costa Oeste em 2016.

“Trata-se de um nicho interessante de mercado, o qual oferece vantagens únicas. Caracteriza-se por baixas despesas de capital, amplas margens operacionais e fluxos de caixa excessivos”, afirma Felipe.

Ele comenta, ainda, que ao comparar com a maioria dos REITs, que exibem fluxos de caixa livres fracos devido às suas despesas de capital, o LSI apresentou fluxos de caixa livres excessivos em todos os anos da última década.

Por fim, o papel negocia a aproximadamente 6% de cap rate. “Um belo desconto versus seus pares, que negociam ao redor de 5%”, analisa Felipe. 

“Com a melhor estrutura de capital de seu segmento e dada também a correção de mais de 20% neste ano, o Life Storage tornou-se atraente”, conclui o analista.