Times
Investimentos

Meta Platforms (M1TA34) surpreende com resultado bem acima do esperado no 4T23 e anuncia primeiro dividendo de sua história

A empresa demonstrou uma importante melhora operacional e anunciou um novo programa de recompra de ações; confira

Compartilhar artigo
Data de publicação
2 de fevereiro de 2024
Categoria
Investimentos
resultados Meta
Imagem: Pixabay

Após o fechamento do pregão de ontem (1), a Meta Platforms (B3: M1TA34 | Nasdaq: META) reportou os seus balanços do quarto trimestre de 2024

Não bastassem os números bem melhores do que o esperado pelos analistas, a companhia surpreendeu os investidores com o anúncio do primeiro dividendo da sua história, de US$0,50 por ação.

Nos três meses encerrados em dezembro a companhia apresentou receita de US$40,111 bilhões, crescimento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado.

Família de Apps

O número de usuários diários ativos da sua Família de Apps totalizou 3,19 bilhões, um aumento de 8% na comparação anual. Já os usuários mensais ativos somam 3,98 bilhões, valor 6% maior ante o 4T22.

Somado ao maior número de pessoas utilizando seus aplicativos, as impressões de anúncios entregues pela Família de Apps cresceram 21%, com um preço médio por anúncio 2% maior na comparação anual. A receita média por usuário no trimestre foi de US$10,10, ante US$8,63 um ano atrás.

Custos e despesas da Meta

Dando sequência a melhor eficiência de suas operações, os custos e despesas da companhia caíram 8% ante o 4T22, somando US$23,727 bilhões no período. 

Lucro operacional e líquido

Dessa maneira, o lucro operacional da Meta totalizou US$16,384 bilhões, um valor 156% maior em relação ao mesmo trimestre de 2022 (US$6,399 bilhões) e o equivalente a uma margem de 41% (+21p.p. vs 4T22).

Na linha final de resultado, o lucro líquido mais do que triplicou na comparação anual, somando US$14,017 bilhões, ou US$5,33 por ação (ante US$4,652 bilhões, US$1,76/ação no 4T22).

Resultados de Meta no ano de 2023

Os resultados referentes ao ano de 2023 também demonstraram uma maior eficiência operacional, com aumento de receita muito maior do que seus custos e despesas.

As vendas no período totalizaram US$134,902 bilhões, valor 16% acima do reportado em 2022. Diferentemente do último trimestre, apesar do aumento nas impressões de anúncios (+28%) em relação ao período anterior, o preço desses anúncios recuaram 9%. 

Já os custos e despesas somaram US$88,151 bilhões, ante US$87,665 bilhões um ano antes — importante notar que o número de 2023 ainda conta com gastos relacionados à reestruturação da companhia de US$3,45 bilhões.

O lucro operacional em 2023 foi de US$46,751 bilhões, ou uma margem de 35%, crescimento de 62% e 10 pontos percentuais na comparação anual, respectivamente.

Não bastassem os ótimos resultados, a projeção da direção de receita entre US$34,5 bilhões e US$37 bilhões (acima das expectativas dos analistas) também animou o mercado.

Sem falar que, além do anúncio do dividendo, a empresa informou um novo programa de recompra de ações no valor de US$50 bilhões.

Dentre as Big Techs, a ação da Meta Platforms (B3: M1TA34 | Nasdaq: META) era a que me parecia mais atrativa no segmento — tanto que era a única com um peso maior na carteira internacional da Empiricus RESEARCH. Sorte dos assinantes que seguiram a sugestão, uma vez que as ações subiam mais de 14% no after-market.

Por fim, neste relatório gratuito trago outros 10 BDRs além de Meta nos quais vale a pena investir agora.