Investimentos

O bitcoin pode perder até 80% do seu valor, mas você ainda pode ‘proteger’ seus investimentos e se posicionar em uma classe de ativos com potencial de valorizar mais de 1.000%; saiba como

É melhor tomar cuidado com os seus investimentos em cripto; saiba como se blindar das quedas do bitcoin e buscar lucros no longo prazo

Compartilhar artigo
Data de publicação
4 de fevereiro de 2022
Categoria
Investimentos

Não dá para negar a ascensão dos criptoativos nos últimos tempos. A classe digital tem ganhado cada vez mais destaque no portfólio dos investidores, tendo em vista os lucros milionários que algumas moedas já chegaram a entregar. Mas se você investe em cripto, é melhor tomar cuidado.

Veja bem, isso aqui não é uma tentativa sensacionalista de te assustar. Pelo contrário, é apenas um alerta para que você entenda o que está acontecendo no mercado e saiba quais são os possíveis impactos nos seus investimentos.

O bitcoin foi o pioneiro no mercado digital, lançado em 2008, foi ele quem abriu os caminhos para que outras moedas fossem criadas e explodissem tempo depois. Logo, ele se tornou um indicador para outras criptomoedas. 

Sendo assim, se o bitcoin sobe, ele leva diversos ativos digitais menores junto com ele. Por outro lado, se ele cai, o criptomercado entra em estado de alerta. O que já vem acontecendo.

Acredito que você tenha acompanhado as quedas da moeda mais valiosa do mundo nos últimos dias. O bitcoin já perdeu quase 50% do seu valor desde a máxima atingida em novembro até os dias de hoje. E acredite, as coisas podem ficar ainda piores.

Pra você ter uma ideia, os brasileiros têm hoje mais de 270 bilhões de reais em criptoativos:

Fonte: Exame

Os investimentos em cripto já são três vezes maiores do que a exposição ao mercado de ações norte-americano e acabam de superar a exposição ao Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira:

Ou seja, os investidores brasileiros estão bastante posicionados em criptomoedas, deixando de lado outros ativos que podem servir para balancear suas carteiras. O que é muito preocupante, já que o cenário para mercado digital não é dos mais promissores no curto prazo. E, além do mais, nenhuma exposição excessiva em um único tipo de investimento é considerada segura para o patrimônio.

O bitcoin pode perder até 80% do seu valor atual; você está mesmo preparado para o que vem pela frente?

Se você se assustou com a queda de quase 50% do bitcoin, é melhor se preparar. Tem muita gente grande acreditando que a moeda pode perder até 80% do seu valor atual, isso no melhor cenário.

Dá uma olhada na previsão do banco UBS, publicada em janeiro deste ano:

Ou seja, sair do patamar de 30 mil dólares para beirar os poucos mil dólares. 

A previsão de que o juro nos Estados Unidos chegue a 3% ao ano tem assustado os banqueiros e economistas que investem em criptomoedas. Assim, não seria nada absurdo que o bitcoin perdesse 80%, e até 90% do seu valor.

E por que o número assusta tanto, afinal? Bom, acontece que a política dos EUA baliza o mundo, e desde 1982 não víamos uma projeção tão alta para o juro americano. Ao contrário, como você vai ver no gráfico abaixo, de 40 anos para cá, esse número caiu drasticamente:

Fonte: TradingView/ Atualizado Janeiro 2022

Agora trazendo para o mercado financeiro, veja as ações que mais subiram nos últimos 10 anos:

Gráfico: Empiricus

Se você analisar bem, vai perceber algo em comum nessas empresas. Elas cresceram absurdamente por um motivo específico: todas são empresas de tecnologia, que adotaram o modelo de crescimento rápido, que é baseado no fluxo de caixa no futuro.

Funciona assim: se o juro está próximo de zero, isso significa que o dinheiro hoje valerá quase a mesma coisa que o dinheiro daqui 2, 5 ou 10 anos. Então muitas empresas optam por abrir mão de gerar receita no presente, pegam muito dinheiro  emprestado para acelerar seu crescimento com a promessa de que o negócio passará a rentabilizar lá no futuro.

Dado que a taxa de juros é baixa, isso é, muitas vezes, um bom negócio. E alguns casos icônicos deram muito certo seguindo esse modelo:

A Tesla, por exemplo, subiu 17.000% nos últimos 10 anos, como você pode ver no gráfico abaixo:

Fonte: Economática; Elaboração Empiricus, no período de 21/01/2012 a 21/01/2022

O problema agora é que, depois de 40 anos, temos motivos materiais para acreditar no juro americano de 3% ao ano.

Resumindo, com as taxas de juros maiores, os fluxos de caixa futuros são trazidos ao presente por uma taxa de desconto mais alta.

Mas, para que você compreenda melhor, vamos voltar a 2 anos na história, em 2020, quando deu-se início a pandemia de Covid-19 no mundo.

Para conter a crise pandêmica nos últimos dois anos, trilhões de dólares foram injetados na economia. Foram inúmeros pacotes de estímulos gigantescos pelo mundo todo, principalmente na economia americana. 

E a consequência disso foi a maior inflação americana já vista desde 1982, quando o juro americano estava muito maior do que 3%, beirando os 15%:

Fonte: Folha de São Paulo

Agora, o cenário atual é o seguinte: já estamos com a inflação alta que não tínhamos desde 1982, a taxa de juro está entre 0 e 0,25% ao ano, e se atingir 3% ao ano, como muitas instituições financeiras estão cogitando, o cenário pode ficar ainda pior.

E essas empresas que projetam o fluxo de caixa no infinito com uma taxa próxima de zero e que precisam de juros baixos para sobreviver, podem vir a quebrar, e no mínimo podem ter suas cotações drasticamente corrigidas.  

Agora  você entende por que a queda do Bitcoin não pode ser tratada como apenas mais uma “correçãozinha” comum?

Afinal,  podemos ver o juro americano num patamar que não é atingido desde 2008, quando o Bitcoin estava sendo criado. E esse é o motivo pelo qual você deve ser cauteloso agora.

Eu só estou te contando tudo isso para te alertar do que está prestes a acontecer. E, além de tudo, ajudá-lo a blindar os seus investimentos. 

Não quero que com isso você pense que estou sendo pessimista, dizendo aqui que o Bitcoin vai chegar ao seu fim, longe disso. Pode até ser que, em um determinado momento do ano, ele se recupere e volte a bater os US$ 100 mil. 

É até por isso que muitos especialistas do mercado financeiro não recomendam que você desmonte completamente a sua posição no criptoativo. Felipe Miranda, sócio-fundador da maior casa de análise financeira independente do país, por exemplo, não vai tirar todo o dinheiro investido no BTC. Mas admite que agora é hora de colocar o “pé no freio”.

E digo mais: isso não é motivo para desanimar. Afinal, eu não vim aqui apenas para dar notícias ruins. Se por um lado o bitcoin não está em uma boa hora, há um investimento que pode ser uma verdadeira “mina de ouro” na sua carteira.

Isso porque ele tem potencial de salvar o seu portfólio da iminente queda do bitcoin e ainda entregar lucros expressivos.

QUERO SABER QUAL O INVESTIMENTO QUE PODE ME PROTEGER DA QUEDA DO BITCOIN E AINDA ENTREGAR LUCROS EXPRESSIVOS

Esses ativos podem entregar lucros exponenciais no longo prazo e proteger o seu patrimônio da iminente queda do BTC

Como dizem os analistas do mercado financeiro “quem chega antes bebe água limpa”. Agora, você terá a oportunidade de fazer parte do time que está se antecipando para desbravar “uma mina de ouro dos investimentos” para buscar lucros exponenciais com ativos que estão custando pouco dinheiro – ao mesmo tempo em que se protege da iminente queda do BTC.

É o seguinte: a onda dos criptoativos foi tão grande que a bolsa de valores acabou ficando um pouco de lado, algo natural, quando algo se destaca muito, outro acaba perdendo um pouco. 

O Ibovespa passou por momentos difíceis no final de 2021, mas nada diferente do que já tenha acontecido. O que talvez você ainda não saiba é que, o fluxo agora pode ser o inverso. Dê uma olhada no gráfico abaixo:

Fonte: Bloomberg e Brasil Capital. Fechamento Novembro/2021

Esse é um estudo da gestora Brasil Capital, que mostra claramente o desempenho da bolsa brasileira nos anos de crise. E como você pode ver, ela costuma subir depois destes eventos. 

Até aqui nenhuma novidade. No entanto, repare bem nos percentuais do gráfico: +329%, +266%, +179%, +140%, +139%… São altas muito relevantes e que aconteceram rigorosamente em todos os anos desde a primeira crise, em 1995. 

É claro que retornos passados não garantem retornos futuros, mas você deveria no mínimo ficar atento a esses números e as oportunidades que podem vir a surgir após a crise atual.

Agora, o momento não é diferente das crises anteriores. Como você deve estar acompanhando, o Ibovespa tem registrado grandes quedas nos últimos meses, a inflação chegou perto dos 2 dígitos e, consequentemente, a taxa de juros se multiplicou 5 vezes, elevando a Selic de 2% a 9,25% no final de 2021. E sim, as ações caíram bastante, não dá para ignorar esse acontecimento.

Mas quero que entenda que esse gráfico mostra uma “luz no fim do túnel”. Afinal, ele é uma lembrança muito positiva de que as melhores oportunidades de se fazer dinheiro surgem em meio às grandes crises.

E isso fica ainda mais evidente se pensarmos nas condições especiais em que o Brasil se encontra nesse momento:

QUERO SABER QUAIS OS ATIVOS QUE PODEM SURFAR VERDADEIRAS ONDAS DE MULTIPLICAÇÃO APÓS A CRISE 

O Brasil ficou ainda mais barato para o capital estrangeiro; e você pode lucrar com esse momento

Com as quedas que amargaram o mercado no ano de 2021, algumas ações brasileiras ficaram muito baratas. Não só pelo preço de negociação delas, mas pela discrepância em relação aos lucros das empresas que elas representam. Com isso, o mercado volta aos olhos de grandes investidores:

Fonte: InfoMoney

Em outras palavras, isso quer dizer que os preços das ações estão descolados dos resultados das empresas como poucas vezes na história brasileira. Conclusão: esse pode ser um momento único e histórico para investir em ações da B3. 

E se você comparar o Brasil com outros países do mundo, vai ver que o real é hoje uma das moedas com a pior performance. Com o dólar na casa dos R$ 5,31, estamos entre as moedas que mais desvalorizam no mundo, o que torna o Brasil mais barato e atraente para o capital estrangeiro.

Não à toa os grandes gestores do Brasil já estão atraindo capital para aproveitar essas oportunidades da bolsa. Inclusive a Dynamo, administradora de recursos, acabou de abrir para captações.

E isso diz respeito diretamente a você, investidor. Afinal, se os “peixes grandes” estão mergulhando na bolsa brasileira, por que você deveria remar contra a maré neste momento? 

QUERO SABER QUAIS AS AÇÕES BRASILEIRAS COM POTENCIAL PARA SURFAREM UMA NOVA ONDA DE VALORIZAÇÃO APÓS A CRISE

Essa é a melhor oportunidade que você terá para se blindar e ter a chance de fazer fortuna em 2022

Não é nenhuma piada, nem conto de fadas. Estamos falando aqui de resultados reais. Casos de multiplicações entre 500% e 25.000% para alguns ativos específicos da bolsa brasileira após momentos de crise, como mostra a imagem abaixo:

Fonte: Empiricus

Esses são os resultados de algumas empresas que despontaram após períodos muito semelhantes ao que estamos vivendo agora. Em termos práticos, isso quer dizer que já foi possível lucrar de R$30 mil a R$ 1,3 milhões partindo de um investimento considerado baixo, de “apenas” R$5 mil. 

Isso acontece com facilidade? Certamente não. São casos extremamente raros e que só acontecem em ocasiões especiais, como condições bastante específicas.

Felipe Miranda, CIO e estrategista-chefe da Empiricus, acredita que ainda esse ano, o upside de alguns ativos da bolsa brasileira pode ser maior que 100%, 200% e até 300%

O analista avalia que esse é um cenário possível, e que podemos mirar mais de 1.000% de valorização no longo prazo, se investirmos nas ações certas. E, felizmente, o estrategista já tem as suas apostas devidamente selecionadas:

CONHEÇA AS AÇÕES BRASILEIRAS QUE PODEM VALORIZAR ATÉ 1.000% NO LONGO PRAZO, DE ACORDO COM FELIPE MIRANDA

Esse pode ser o melhor momento para investir nas “ações certas”

Chegamos ao ponto crucial deste texto, onde só depende de você. Sabemos que as criptomoedas já entregaram grandes fortunas, mas apostar tudo em cripto não é um investimento inteligente, com elas subindo ou caindo. 

Afinal, ao optar por esse caminho você se expõe totalmente a um mercado volátil e que pode ser muito afetado pela queda do bitcoin nos próximos meses.

Mas existe um caminho inverso, com grande potencial. Caminho este que além de te blindar de possíveis perdas com o BTC, ainda te oferece a chance de lucrar fortunas com ações específicas da bolsa brasileira.

Você está preparado para perder 70%, 80% ou até 90% dos seus investimentos caso o bitcoin venha a despencar? Sua carteira suportaria todas essas perdas? 

Bem, você está diante da oportunidade de evitar esse transtorno e ainda buscar potenciais multiplicações expressivas para o seu patrimônio. Sendo muito claro, o futuro do seu dinheiro está nas suas mãos, e se você fizer a escolha certa, esse futuro pode vir a ser milionário.

Agora se você chegou até aqui e optou por se diferenciar de muitos, que ainda não diversificam suas carteiras e acreditam que apenas criptoativos são suficientes, parabéns, você fez a escolha certa.

Agora eu passo a bola para Felipe Miranda, que vai explicar detalhadamente a tese dele para proteger os seus investimentos. 

Clicando aqui você terá acesso gratuito as 5 atitudes do plano prático de Felipe para proteger sua carteira e buscar lucros extraordinários com o novo momento da bolsa de valores. Além disso, poderá conhecer quais são as ações brasileiras em que o estrategista vê maior potencial para surfar a retomada da bolsa.

Sugiro que separe papel e caneta e clique no botão abaixo:

QUERO BLINDAR MINHA CARTEIRA COM A AJUDA DE FELIPE MIRANDA E BUSCAR LUCROS EXPONENCIAIS COM AS AÇÕES CERTAS

Sobre o autor
Pompeu Filho