Investimentos

Por que investir no Grupo GPS (GGPS3)? Empresa ainda fora do radar na Bolsa é vista como promissora

No último relatório da série Carteira Empiricus, a empresa que abriu capital há exatamente um ano recebe avaliação positiva devido ao potencial de expansão; entenda os motivos

Compartilhar artigo
Data de publicação
27 de abril de 2022
Categoria
Investimentos

Uma máquina de aquisições. O Grupo GPS (GGPS3) anunciou a compra de todas as ações da Global Treinamento e Desenvolvimento, na última quinta-feira (20). A transação faz parte da sua estratégia de crescimento inorgânico.

A companhia, que fez IPO (oferta inicial de ações) há apenas um ano, pretende adicionar R$ 1,75 bilhão em receitas de empresas adquiridas ao longo de 2022, algo que vem realizando gradualmente. Até o momento, foram seis aquisições no total, sendo elas: Global Treinamento e Desenvolvimento; Evertical; Force; Ormec; Sulzer e Motus.

O Grupo é um dos maiores nomes do mercado de prestação de serviços integrados, que incluem soluções de limpeza, manutenção e segurança, além de oferecer serviços de logística interna, serviços de engenharia e manutenção industrial.

Felipe Miranda, CEO e estrategista-chefe da Empiricus, e os analistas Fernando Ferrer, João Piccioni e Larissa Quaresma atualizam informações sobre o Grupo e explicam por que é um investimento interessante, no último relatório da série Carteira Empiricus.

Empresas “compounders”: entenda o que é e por que a GPS pode ser considerada uma

“Na linguagem do mercado, uma empresa compounder é aquela que possui vantagens competitivas e um modelo de negócios rentável, de modo que consegue expandir suas linhas de negócios ao longo do tempo. Em janelas temporais mais dilatadas, tornam-se verdadeiras campeãs em seus setores”, explica Fernando Ferrer.

No Brasil, há alguns casos clássicos de empresas que se encaixam nessa modalidade. No segmento de infraestrutura, por exemplo, pode-se destacar a Cosan (CSAN3); já no setor de varejo farmacêutico, tem-se a RD (RADL3); no ramo de locação de carros, o foco é a Localiza (RENT3).

“Embora tenha feito seu IPO recentemente, acredito que a GPS poderá se tornar uma clássica compounder”, afirma Ferrer.

Potencial de crescimento: GPS se mantém firme e forte nas carteiras

A companhia, que já totaliza 10 aquisições desde seu IPO e 40 desde sua fundação, apresentou um crescimento médio de receita anual de 32% desde 2008, consolidando-se como referência e um dos principais empregadores do país.

Nesse sentido, a GPS possui apenas 4,5% de participação no seu mercado, configurando uma grande oportunidade. Por ser a maior e única listada do setor, ela possui um balanço mais robusto, maior capacidade de aquisição de empresas, de retenção de clientes e de expansão para novas linhas de atuação, dizem os analistas.

Quanto à aquisição mais recente da Global Treinamento e Desenvolvimento, embora ainda esteja sujeita a aprovações regulatórias, é vista com bons olhos pela equipe da Carteira Empiricus. 

“Vemos o acordo como positivo, reiterando a estratégia da companhia de capturar crescimento e sinergias com seu plano de fusões e aquisições (M&A). Sendo negociada a 20 vezes seu lucro estimado para os próximos 12 meses, a GGPS3 continua em nosso book de ações”, afirmam.

Os resultados da companhia referentes ao primeiro trimestre de 2022 serão divulgados dia 12 de maio.

Não deixe de conferir: Carteira Empiricus e Oportunidades de uma Vida

Além de estar presente na Carteira Empiricus, a GPS também se encontra na carteira Oportunidades de uma vida, liderada por Felipe Miranda. 

Para ter acesso a esses conteúdos, bem como avaliações relacionadas à próxima divulgação de resultados da empresa, basta se tornar assinante da Empiricus e conferir atualizações e análises semanais clicando aqui