Times
Renda Fixa

CRA: vale a pena investir nesse ativo? Entenda como funciona esse título

O CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) é um título de crédito relacionado ao agronegócio. Entenda melhor como o CRA funciona.

Por Equipe Empiricus

12 de setembro de 2022, 10:41

Imagem representando o CRA, mostrando máquinas agrícolas em uma plantação

Títulos de renda fixa são bem procurados por quem procura segurança ou diversificação de carteira. Dentre as alternativas existentes no mercado brasileiro, um título bastante interessante é o CRA.

Apesar de não ser tão conhecido quanto outros títulos de renda fixa, o CRA é um tipo de investimento que possui muitas vantagens que atraem até mesmo os investidores conservadores.

O que é o CRA?

O CRA é a sigla para Certificado de Recebíveis do Agronegócio, um tipo de investimento de renda fixa representado por um título de crédito privado. Esse crédito é emitido por empresas de sociedade anônima, conhecidas como securitizadoras.

O investimento tem como objetivo captar recursos para o agronegócio, tanto para pessoas físicas ou jurídicas, que usam esse dinheiro para comprar máquinas, construir silos, dentre outras coisas.

Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio não são tão populares, por isso a definição inicial pode soar confusa inicialmente.

Como funciona o CRA?

O CRA é emitido por securitizadoras que estão aptas a colocá-lo no mercado financeiro para que os investidores possam adquiri-los. Eles são oriundos de uma promessa de pagamento.

Para ficar mais claro, vamos a um exemplo prático: imagine que você é dono de uma grande fazenda e está disposto a investir pesado para a próxima safra. Para isso, você vai adquirir diversas máquinas com um custo elevado, mas não tem condições de pagar à vista.

Qual a solução? Você pode recorrer a um banco e fazer um empréstimo, mas sabemos que as taxas de juros costumam ser muito altas. Então, sua segunda opção é recorrer a títulos de crédito como o CRA. Para isso, você vai até uma securitizadora e inicia uma negociação.

Eles aceitam fazer o empréstimo, mas precisam de algo como garantia. Você está confiante no investimento, por isso decide colocar parte de suas próprias terras para fazer a cobertura exigida. Assim, a empresa define um valor para o CRA, como, por exemplo, 6% + CDI com vencimento em 12 anos. Depois, o disponibiliza no mercado.

Agora os investidores podem comprar esses títulos e investir nas máquinas para sua propriedade, com a confiança de que receberão o dinheiro de volta com juros no final do processo. Caso você não honre a dívida, parte de sua propriedade será usada para cobrir os gastos.

Riscos do CRA

O maior risco ao qual você estará exposto ao adquirir esse crédito do agronegócio é a quebra da empresa ou pessoa que fez a solicitação dos recursos ou do próprio emissor. Nesses casos, receber o dinheiro investido pode se tornar uma verdadeira saga.

Mas, para se precaver, é indispensável avaliar as garantias e as notas de Rating do emissor antes de fazer qualquer aquisição. Se a nota de Rating estiver próxima a A, as chances de a empresa honrar seus compromissos são muito maiores.

Outro risco que o investidor terá que enfrentar é o do próprio mercado. Pois, caso o título adquirido não seja de um modelo pré-fixado, no qual você já sabe exatamente quanto vai receber no final, você estará sujeito a diversas oscilações.

Isso ocorre porque o valor do CRA pode variar devido a índices importantes de nossa economia, como a inflação, câmbio e PIB. Sendo assim, as oscilações constantes podem fazer com que você tenha um resultado negativo. Por isso, esse tipo de investimento é mais indicado para investidores com um perfil arrojado.

Por fim, outro risco atrelado ao CRA tem relação com o mau planejamento do próprio investidor. Pois, os prazos do CRA são longos e só haverá lucro se você mantiver o investimento até o final, já que o CRA lida com um público restrito.

Isso quer dizer que, se for necessário vender antes do tempo, dificilmente o investidor vai conseguir o valor pelo qual pagou, podendo ter que arcar com grandes prejuízos. Sabendo disso, a dica é que você sempre se planeje muito bem antes de adquirir esse tipo de título.

Tributação do CRA

A tributação do CRA está livre de IR e IOF sobre os rendimentos para pessoas físicas. Essa acaba sendo uma das grandes vantagens do título e atrai muitos investidores.

Já para os empresários, as regras são um pouco diferentes, com a cobrança de IR ocorrendo de forma regressiva de acordo com os números abaixo:

  • 22,5% até 180 dias corridos;
  • 20,0% entre 181 e 360 dias corridos
  • 17,5% entre 361 e 720 dias corridos;
  • 15,0% após 720 dias corridos.

Qual a diferença entre CRA e CRI?

A diferença entre CRA e CRI está principalmente na área de mercado a qual cada um é destinado. Já sabemos que um CRA é voltado para o setor do agronegócio, enquanto o CRI (Certificado de Recebíveis imobiliários), é voltado ao setor imobiliário. Ao adquiri-lo você estará investindo em shoppings, galpões, prédios, etc.

Além disso, o CRI possibilita o investimento por meio dos Fundos Imobiliários, que administram vários empreendimentos e fazem uma gestão especializada para tentar alcançar os melhores resultados. Por isso, acaba sendo uma boa opção para quem está começando no mercado.

Tirando essas duas diferenças, as duas formas de investimento são muito semelhantes.

Qual a diferença entre CRA e LCA?

Esses dois investimentos podem confundir você, pois ambos são destinados ao agronegócio e possuem isenção de IR.

Mas, a diferença crucial é que a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) é emitida por bancos. Por isso, ela também conta com proteção do FGC, algo que o CRA não tem.

Tipos de CRA

Há três tipos de CRA disponíveis no mercado e cada uma delas apresenta um rendimento diferente. Por isso, fique muito atento às explicações a seguir, pois essas características são determinantes para fazer uma escolha que seja adequada ao seu perfil.

CRA prefixado

O CRA prefixado, como o próprio nome sugere, é um tipo de investimento com uma rentabilidade definida desde o momento da compra. Com ele você não terá nenhuma surpresa, pois vai saber exatamente quanto receberá no final.

Essa opção é procurada quando a economia está com juros baixos, pois acaba rendendo mais do que outras opções de renda fixa.

CRA pós-fixado

A rentabilidade do CRA pós-fixado está atrelada a algum índice econômico, como, por exemplo, o CDI ou a Taxa Selic. Então, imagine que um título está pagando 115% da taxa Selic ao ano. Seu rendimento final vai depender das oscilações do índice.

Repare que para fazer esse tipo de investimento é preciso ter um perfil ainda mais arrojado e fazer um bom estudo do mercado, pois se a taxa à qual o CRA está atrelado subir, os rendimentos aumentam, mas, se ela cair, os lucros seguem o mesmo caminho.

CRA híbrido

Com um CRA híbrido você tem um pouco mais de segurança, pois seus ganhos estão atrelados a uma taxa fixa e outra variável. Por exemplo, é possível adquirir um título que paga 9% + IPCA do ano.

Novamente, os seus ganhos totais ao final do investimento vão depender das oscilações do mercado e da economia.

Vantagens do CRA

Algumas das principais vantagens de investir em um CRA são:

  • Costuma oferecer uma rentabilidade maior do que outras opções de renda fixa. Assim, é uma ótima oportunidade de diversificar a carteira sem correr tantos riscos;
  • É uma boa forma de investimento para quem deseja alcançar objetivos a longo prazo;
  • Mesmo que a securitizadora venha a falir, os repasses continuam sendo feitos por quem buscou pelo empréstimo;
  • Livre de taxas de IR e IOF sobre os seus rendimentos.

Desvantagens do CRA

Por outro lado, existem desvantagens e riscos do CRA que não podem ser ignorados. Os principais são:

  • O CRA não conta com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que garante a recuperação de até 250 mil reais por CPF em caso de falência de alguma instituição;
  • Se você precisar vender seus títulos antes do prazo, provavelmente ficará no prejuízo;
  • Apesar de oferecer boa rentabilidade, exige que o investidor fique muito tempo no investimento para colher os frutos;
  • Baixa liquidez.

Como investir em CRA?

Assim que as securitizadoras disponibilizam os títulos no mercado, você pode começar a investir em CRA por meio de uma corretora. Então, abra uma conta em uma instituição de sua confiança e procure pelo CRA dentre os serviços oferecidos.

Antes de fazer a compra, verifique qual é o tipo do investimento, os prazos e a expectativa de retorno, assim é maior sua chance de encontrar as melhores CRA. Geralmente, é preciso investir pelo menos R$ 1000,00. Ao confirmar a aquisição, o título ficará disponível em sua carteira e você poderá resgatá-lo ao final do período.

Vale a pena investir em CRA?

O CRA é uma ótima forma de diversificar a carteira e oferece boas possibilidades de ganhos a longo prazo. Mesmo não tendo a garantia do FGC, o investimento costuma ser muito seguro, bastando que se avalie a reputação das instituições e pessoas envolvidas.

O fato de não haver cobrança de impostos também é um atrativo, além das diversas formas como os rendimentos finais podem ser obtidos.

Assim como em outros investimentos, quanto maior o risco ao qual você está disposto a se expor, maior é a chance de um retorno significativo no CRA.

Agora que você já sabe como funciona o investimento em CRA, que tal ter acesso a títulos de renda fixa ‘premium’? Você pode receber as melhores ofertas diariamente, direto no seu WhatsApp, assim que elas ficarem disponíveis. É totalmente gratuito. CADASTRE-SE AQUI

Sobre o autor

Equipe Empiricus

A maior equipe de análise de investimentos do Brasil, 100% dedicada a te ajudar a encontrar as melhores oportunidades de investimento.