Times
Economia

Poupança Externa: o que é, como funciona e qual a sua importância para a economia?

A poupança externa é um conceito na macroeconomia que se refere a investimentos externos em um país. Saiba o que é a poupança externa.

Por Equipe Empiricus

28 fev 2024, 13:22 - atualizado em 28 fev 2024, 13:22

Imagem representando a poupança externa, um conceito na macroeconomia que se refere a investimentos externos em um país.
Poupança Externa

Um dos temas bastante comentado por economistas e investidores, mas que gera dúvidas em quem está começando no mundo dos investimentos, é a poupança externa.

É importante, no entanto, não confundir poupança externa com poupança interna, pois, apesar dos conceitos serem parecidos, eles não são similares.

O que é a poupança externa?

A poupança externa é um conceito macroeconômico que se refere à acumulação de recursos financeiros em um país provenientes de investimentos feitos por outros países. 

Normalmente, são nações desenvolvidas que investem seu capital em países em desenvolvimento, os quais geralmente têm menos recursos financeiros.

Esta forma de poupança é um elemento importante no contexto do desenvolvimento econômico, especialmente para países que buscam expandir suas economias mas têm limitações de recursos internos para financiar tal crescimento.

O conceito de poupança externa surgiu com a teoria do desenvolvimento econômico, que se desenvolveu entre as décadas de 1940 e 1950.

Esta teoria enfatiza a importância dos fluxos de capital externo para o crescimento econômico, especialmente em países que não têm capacidade de gerar poupança interna suficiente para financiar investimentos necessários para o desenvolvimento. 

Como funciona a poupança externa?

A poupança externa funciona como um mecanismo de financiamento. Isso acontece quando os investidores estrangeiros, sejam eles privados ou governamentais, aplicam seu capital em ativos dentro de um país em desenvolvimento.

Essa captação de dinheiro no exterior pode assumir várias formas, incluindo investimentos diretos em empresas, compra de títulos governamentais ou financiamento de projetos de infraestrutura.

O fluxo de capital externo contribui significativamente para o seu desenvolvimento econômico. Por exemplo, o investimento estrangeiro direto pode ajudar a criar novos empregos, aumentar a produção industrial e transferir tecnologia e conhecimento.

Além disso, ao comprar títulos governamentais, os investidores estrangeiros fornecem ao governo recursos financeiros que podem ser usados para financiar projetos de desenvolvimento, como construção de estradas, escolas e hospitais.

Qual a importância da poupança externa?

Para países que não têm capacidade suficiente de gerar poupança interna, a poupança externa fornece os recursos financeiros necessários para investimentos em infraestrutura, educação, saúde e outros setores vitais.

Esses investimentos são fundamentais para estimular o crescimento econômico e melhorar o padrão de vida. Além disso, os fluxos de capital estrangeiro geralmente vêm acompanhados de conhecimento técnico e práticas de gestão eficientes.

Isso pode ser particularmente benéfico para países em desenvolvimento, pois ajuda a modernizar suas indústrias, aumentar a eficiência produtiva e fomentar a inovação.

Por fim, a poupança externa facilita a integração na economia global, ajudando o país a se beneficiar da globalização, melhorando o acesso a mercados internacionais, atraindo mais investimentos estrangeiros e participando de cadeias de valor globais.

Qual a diferença entre poupança interna e poupança externa?

A principal diferença entre poupança interna e externa é que a primeira é gerada dentro de um país e compreende a economia de indivíduos, empresas e do governo, ou seja, é a reserva de recursos financeiros internos.

Quando os residentes de um país economizam parte de sua renda, empresas retêm lucros ao invés de distribuí-los como dividendos, ou quando o governo acumula superávits fiscais, tudo isso constitui a poupança interna.

Essencialmente, ela reflete a parte da renda nacional que não é consumida e está disponível para investimento. Diferentemente, a poupança externa origina-se de fontes fora do país, como investimentos feitos por estrangeiros. 

Isso inclui investimentos diretos em negócios, a compra de títulos do governo por investidores estrangeiros, ou empréstimos e financiamentos de instituições financeiras  internacionais.

Portanto, a poupança externa é particularmente importante para países que têm poupança interna insuficiente para financiar o desenvolvimento econômico necessário.

Problemas da poupança externa

Ainda que seja boa, a poupança externa pode apresentar alguns problemas, sendo que um deles é a dependência excessiva de capital estrangeiro, o que pode tornar o país vulnerável a choques externos e até mesmo gerar um endividamento externo excessivo.

Se os investidores estrangeiros decidirem retirar seu capital repentinamente, isso pode levar a crises financeiras e desequilíbrios econômicos.

Por isso, países excessivamente dependentes da poupança externa podem ter sua política econômica limitada, ficando sujeitos às condições e expectativas dos investidores estrangeiros.

Além disso, a entrada de grandes volumes de capital externo pode levar à apreciação da moeda local, prejudicando a competitividade do país. Isso pode ter um impacto negativo sobre a balança comercial e, consequentemente, sobre a economia como um todo.

Sem contar que fluxos elevados de capital podem também alimentar a inflação, especialmente se a economia não tiver capacidade para absorver o aumento de liquidez sem gerar pressões sobre os preços.

Foi possível entender o que é a poupança externa? Então deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe essa matéria com seus amigos nas suas redes sociais.

O que é a poupança externa?

Poupança externa é o capital que um país recebe de fontes estrangeiras, incluindo investimentos diretos de outros países, compra de títulos governamentais por investidores estrangeiros, e empréstimos de instituições internacionais.

Como se calcula a poupança externa?

A poupança externa é calculada como a diferença entre o investimento total de um país e sua poupança interna. Se um país investe mais do que poupa internamente, a diferença é coberta pela poupança externa.

O que significa poupança externa negativa?

Poupança externa negativa ocorre quando um país investe menos do que sua poupança interna. Isso significa que ele está emprestando recursos para o exterior, em vez de receber investimentos estrangeiros.

Por que a poupança externa é importante para o crescimento econômico?

A poupança externa é importante para o crescimento econômico pois fornece recursos financeiros adicionais necessários para investimentos em infraestrutura, tecnologia e outros setores, especialmente em países onde a poupança interna é insuficiente para tais investimentos.

Qual a relação entre PIB e poupança externa?

A relação entre PIB e poupança externa está na forma como o capital estrangeiro contribui para o crescimento econômico. Investimentos estrangeiros podem aumentar a produção, gerar empregos e aumentar o PIB. Por outro lado, uma dependência excessiva da poupança externa pode levar a desequilíbrios que afetam negativamente o PIB.

Sobre o autor

Equipe Empiricus

A maior equipe de análise de investimentos do Brasil, 100% dedicada a te ajudar a encontrar as melhores oportunidades de investimento.