Como ganhar dinheiro sem criptomoedas

O momento é de receio por parte dos investidores e precisamos de novas notícias positivas para o mercado empurrar os preços para cima.

Compartilhe:
Como ganhar dinheiro sem criptomoedas

Oi, pessoal da Empiricus,

Escrevo este e-mail para agradecer, de coração, por terem me ajudado a dar um rumo decente às minhas finanças e aos meus investimentos.

Desde que comecei a assinar as publicações de vocês e por em prática as ideias de investimento que vocês passam, não só consegui montar um portfólio que me traga um belo retorno como deixei de aplicar pelo banco e de pagar aquelas taxas absurdas – ufa!

Vejam, eu sou engenheiro por formação. Não sabia muita coisa sobre economia. Só que, por muito tempo, confundi a facilidade com os números com a capacidade de escolher bons investimentos.

Talvez tenha assistido a muitos filmes de Hollywood. Vai saber…

Mas a verdade é que vocês me ajudaram a dar um enorme salto financeiro, que nenhum livro sobre economia me faria dar.

Meu sincero agradecimento por tudo que aprendi com vocês nas diversas assinaturas que tenho e por me ajudarem a ganhar dinheiro de verdade investindo.
Um abraço!

Este é o e-mail que eu nunca enviei para a Empiricus quando ainda era assinante.

Acho que, na época fiquei, com vergonha. “Vai que alguém responde”, pensei eu.

Eu conheço a Empiricus desde antes de ela me conhecer. Já estive aí do seu lado, caro leitor. E as palavras acima são as mais sinceras que você lerá hoje.

Não venho originalmente do mercado financeiro, apesar de os últimos anos de trabalho terem feito eu me “oficializar” nesse meio.

Lá no começo, eu sabia bem pouco sobre o que significava, de verdade, investir.

Tinha uma boa bagagem de finanças pessoais por conta do meu pai. Seu Júlio sempre foi enfático no “quem guarda, tem” e me fez ser BEM controlado com o dinheiro que entra e sai (alguns chamam isso de ser “pão duro”; tanto faz).

Entretanto, o máximo que eu conhecia de investimentos era: os CDBs, LCIs e LCAs que papai fazia… pelo banco.

Ah, e um pouquinho sobre ações, porque ele sempre teve papéis de bancos e me ensinou sobre aqueles tais dividendos.

Claramente, dava para melhorar. Comecei a ler os conteúdos da Empiricus sem parar. Aprendendo cada mínimo detalhe sobre como montar uma carteira de investimentos. E, claro, colocando tudo em prática.

Então sugeri ao meu pai que também assinasse as publicações. Sentia que precisava devolver algum conhecimento para ele.

Desde então, ele vem também melhorando, constantemente, sua carteira pessoal.

E agora, alguns anos depois, cá estou, do outro lado da tela, falando para você sobre criptomoedas, te pentelhando toda semana com o tradicional “não exponha mais de 5% do seu patrimônio a cripto”.

Repito isso incansavelmente porque há muito mais do que só bitcoin e altcoins no mercado.

Não me leve a mal… Comprar bitcoin pela primeira vez a 600 dólares me rendeu uns belos trocados.

Mas venho aqui te dizer: o grande salto financeiro para mim veio, antes de tudo, dos outros 95% do portfólio.

E uma das principais pessoas a me guiar por esse caminho foi um cara que você já conhece. Atende pelo nome de Felipe Miranda.

Hoje você pode dar esse mesmo grande salto. Vai aprender com quem sabe ganhar dinheiro.

Então, faça um favor ao seu patrimônio e veja como o Felipe te levará ao seu grande salto.

Ele acaba de abrir as portas de seu novo projeto. Um treinamento sem paralelos no Brasil.

Eu mesmo fiz. E recomendo.

Neste link, você pode acessar o vídeo-convite e ver todos os detalhes para se tornar um dos 340 participantes.

Por favor, não adie sua construção de patrimônio.

Enquanto isso, no mercado de cripto, o bitcoin vai ensaiando uma modesta recuperação, mais ainda sem expressividade, após o belo tombo dos últimos dias. O spread no Brasil está bem baixo, próximo de zero.

O momento é de receio por parte dos investidores e precisamos de novas notícias positivas para o mercado empurrar os preços para cima.

Com altcoins caindo mais que o bitcoin, a principal moeda digital voltou a dominar mais de 50% do mercado, algo que não acontecia desde dezembro do ano passado.