Ele tá vindo mesmo?

Há quanto tempo você ouve no mundo cripto que o institucional está chegando? Ou que Wall Street está vindo para as criptomoedas? Ou que os […]

Há quanto tempo você ouve no mundo cripto que o institucional está chegando? Ou que Wall Street está vindo para as criptomoedas?

Ou que os gigantes fundos de pensão estão de olho no bitcoin?
Bem, eu estou ouvindo isso já faz um tempo e, por mais que eles não estejam declaradamente comprando alguns milhões em cripto, eles estão vindo, sim.

No entanto, eles estarem vindo não significa que eles vão chegar amanhã neste mercado; deve demorar um pouco mais.
Veja bem, o Natal de 2020 também está chegando.

Amanhã, por exemplo, estaremos mais próximos dele do que hoje.

Mesmo assim, para chegarmos ao dia 25 de dezembro de 2020, temos que primeiro passar pelo Natal deste ano e por tantas outras datas comemorativas.

Mas isso não invalida o fato de que o Natal de 2020 está vindo.
Por isso, vamos encarar o fato de que o institucional está vindo como a frase fala. Eles estão chegando, mas não na velocidade que desejamos.

Até porque a volatilidade ainda assusta muito esses caras. Além disso, há a falta de instrumentos consolidados para fazer valuation de tokens e criptomoedas.


Leitura recomendada

Luciana Seabra mostra como lucrou (e ajudou os leitores a lucrarem) muito com ações sem precisar comprar ações. Ela ensina os assinantes da sua séria a investirem da mesma forma que os maiores investidores profissionais do mercado financeiro. E tudo depende de uma simples atitude, que pode te mostrar esse novo mundo de rentabilidade em menos de 24 horas. Veja aqui o recado que ela gravou.


Outro ponto que deixa essa gente grande de fora do mercado cripto é a falta de uma regulação clara e estabelecida.

Mas esse último ponto está paulatinamente mudando. Aos poucos, as empresas mais sérias do mercado vão fornecendo ótimas fontes de informações para os reguladores entenderem o mercado cripto.

O último e talvez mais importante relatório do ano foi lançado pela Bitwise e endereçado à SEC.

Nele, a empresa de cripto defende a aprovação da ETF de bitcoin proposta por eles.

Mas a Bitwise fez mais do que isso, pois, em um extenso relatório, a empresa aponta que cerca de 95 por cento do volume de bitcoin negociado no mundo é falso.

À primeira vista, isso parece mais nocivo do que benéfico para o mercado, mas na página dois essa história muda.

Por exemplo, a Coinbene reporta o maior volume de bitcoin negociado no mundo, cerca de 480 milhões de dólares.

Se isso fosse inteiramente verdade, você poderia dizer que boa parte do volume de bitcoin é negociada fora do território americano. Logo, a SEC teria razão em não aprovar um ETF desse ativo, que tem maior negociação fora da sua jurisdição.

No entanto, esse volume reportado é fake, como apontado pela Bitwise, e as empresas que atuam exclusivamente no território americano, como Coinbase a Gemini, tem mais parcela de mercado do que imaginado.

Isso facilita uma provação de ETF por parte da SEC.

Outro ponto relevante é que se apenas 5 por cento dos volumes de bitcoin são verdadeiros, o mercado de futuros é muito mais representativo percentualmente do que se imagina.

Mais um ponto para a aprovação.

Além desses pontos, o relatório fala de vários outros quesitos pertinentes para uma aprovação do tão esperado ETF.

Acredito que essa proatividade da Bitwise foi um marco para o mercado, tanto em transparência quanto em seriedade.

Acho que o institucional está vindo realmente, mas na velocidade dele.

Aquele abraço,

André Franco

Inscreva-se em nossa newsletter