Long Bitcoin, short JPM Coin

“Está longe de cumprir a promessa de criar um ecossistema pelo qual todos os participantes possam utilizar uma moeda digital universalmente aceita e resgatável.” – […]

Long Bitcoin, short JPM Coin

“Está longe de cumprir a promessa de criar um ecossistema pelo qual todos os participantes possam utilizar uma moeda digital universalmente aceita e resgatável.”
– Will Martino, ex-funcionário do J.P. Morgan e fundador da Kadena, sobre a JPM coin.

 

O trecho acima se refere à mais nova ideia “inovadora” que o J.P. Morgan anunciou nesta semana.

Uma criptomoeda totalmente controlada pelo banco que vai ajudar na transferência de recursos internacionais.

E como vemos esse movimento?

Bem assim:

Primeiro, eles riram daqueles que cogitavam falar que bitcoin era uma moeda.

Depois, tentaram separar duas coisas indissociáveis: criptomoeda e blockchain.

Agora, eles copiaram.

Nada mais que o curso natural da inovação e da disrupção.

Acostumar-se a ser apontado como errado para um dia ser ovacionado é o ciclo vivido por aqueles que se arriscam.

Foi assim com a energia elétrica, o avião e a internet.

Em 1995, todo aquele papo de que a internet mudaria a forma como as empresas trabalhavam era tido apenas como papo dos mais jovens e otimistas com o mundo.

Hoje, todas as mais mirabolantes ideias pensadas antes dos anos 2000 não apenas são verdades como também não dá para viver sem elas.

Não existe mais a ideia de estar ou não conectado. Simplesmente estar online é tão intrínseco ao mundo em que vivemos como respirar.

E grande parte do poder que a internet tem se centra no seu poder de rede, a famosa lei de Metcalfe.

Quanto maior a rede, maior o seu valor.

 

Leitura recomendada

Luciana Seabra mostra como lucrou (e ajudou os leitores a lucrarem) muito com ações sem precisar comprar ações. Ela ensina os assinantes da sua séria a investirem da mesma forma que os maiores investidores profissionais do mercado financeiro. E tudo depende de uma simples atitude, que pode te mostrar esse novo mundo de rentabilidade em menos de 24 horas. Veja aqui o recado que ela gravou.
 

E, veja, na JPM Coin, a primeira falha, e a mais crucial para seu futuro, é exatamente a limitação do crescimento da sua rede.

Provavelmente não será uma rede que o banco vai permitir que qualquer pessoa acesse.

Para facilitar ao leitor menos técnico, a situação é similar ao que existe entre a internet e a intranet.

Não existe uma competição entre o que é melhor hoje em dia – a internet, global e distribuída, ou a intranet da sua empresa, centralizada e lenta.

A primeira é incomparavelmente mais rápida, completa e evolui naturalmente.

No entanto, se voltássemos algumas décadas, elas apresentariam desempenhos semelhantes nos anos 1990.

É por isso que hoje é possível comparar a JPM coin e o bitcoin e arrancar suspiros da plateia menos entendida.

Mas o bitcoin é diferente da moeda do banco e, no futuro, essa discrepância de potencial e resultado vai ficar cada vez mais clara.

Long bitcoin, short JPM coin.

Aquele abraço,

André Franco