Longo prazo vs curto prazo

A vida é combate, Que os fracos abate, Que os fortes, os bravos Só pode exaltar. São esses versos de Gonçalves Dias que estampam o […]

A vida é combate,
Que os fracos abate,
Que os fortes, os bravos
Só pode exaltar.

São esses versos de Gonçalves Dias que estampam o escudo da Universidade Federal do Maranhão.

O brasão só contempla a primeira estrofe do poema, mas a alusão já vale mover aqueles que desejam fazer uma universidade.

Para mim, em época de vestibular, era o que me fazia sentar a bunda na cadeira e estudar. Afinal, eu queria ser um dos “fortes”.

Mas a verdade é que fui enganado durante todo o ensino médio. Eu tinha a certeza de que a linha de chegada da vida era passar em um vestibular.

É uma daquelas mentiras que ajudam você a alcançar alguma coisa, mas no outro dia já não servem para nada.

De toda forma, valeu a mentira sincera.

Assim eu também me sentia com os meus primeiros tostões investidos em bitcoin, em 2015.

Naquela época a mentira que falavam era a do longo prazo.
Beleza que a compra foi pensando no longo prazo, mas vai demorar tanto assim pra chegar? – eu me perguntava.

Depois de estudar e entender a tecnologia, a não movimentação do preço me frustrava mais ainda.

Como assim, um sistema que funciona 24 horas por dia e nunca foi derrubado não deixa de ser algo exótico e passa a ser o consenso?

Sei que o caso de amor com as criptomoedas não é à primeira vista. Isso porque, no primeiro contato com a tecnologia, você nunca acredita no potencial.

Só depois de algumas olhadas é possível colocar fé no que Satoshi Nakamoto falava.

E é isso que me faz olhar muito para o longo prazo e não para os ruídos que tentam ofuscar o potencial futuro.

Em 2002, o Morgan Stanley disponibilizou um material falando sobre a internet e naquele momento classificou o e-mail como o “killer app” da internet.

Naquela época, ainda se perguntava se a pessoa tinha endereço de e-mail. Assim como você pergunta hoje se o seu interlocutor conhece o bitcoin ou a palavra de Satoshi Nakamoto.

Ainda estamos no começo de tudo, sem killer app do blockchain e, com certeza, muito longe de todo o potencial futuro desse mercado.

O caminho pode ser mais longo do que imaginamos e não vai ser nem um pouco fácil, mas promete ser recompensador.

Falando do mercado em si, o bitcoin ainda não encontrou o seu preço depois da atual queda e está mais próximo de testar uma importante resistência em 3 mil dólares.

Diversas empresas estão saindo do mercado por falta de recursos, e estão ficando aqueles menos amadores.

Quem conseguir sobreviver a essa tempestade tem tudo para sair na frente na volta do mercado.

“A vida é combate que os fracos abate…”

Inscreva-se em nossa newsletter