Os 10 poderes do Bitcoin

Faz tempo que não vejo um projeto relacionado ao universo cripto que chame minha atenção, me tire da zona de conforto e me faça querer […]

Faz tempo que não vejo um projeto relacionado ao universo cripto que chame minha atenção, me tire da zona de conforto e me faça querer entender mais.

Os últimos foram MakerDAO, Uniswap e Binance Coin.

O primeiro por ter atraído 2 por cento de todos os ethers existentes para serem usados como garantia em empréstimos dentro da plataforma.

O segundo me chamou a atenção pela velocidade com que atraiu novos provedores de liquidez.

O terceiro ganha destaque porque a empresa por trás dele, a Binance, decidiu dar cada vez mais utilidade e importância ao token, o que se refletiu no preço.

Tirando esses, vários outros projetos são interessantes, legais, bons e muito mais. No entanto, não se destacam da grande massa dos criptoativos.

Até porque nesse mundo exponencial queremos ver as coisas acontecendo cada vez mais rápido.

Por isso acho que certas vezes somos injustos e impacientes com os projetos e com o ecossistema em geral.

O empreendedor teve a ideia?

Que bom, mas quando vamos ter uma prova de conceito?

Já tem a prova de conceito?

Ótimo, mas agora quero ver a usabilidade disso para as massas.

Já tem uma user experience legal?

Perfeito, mas por que só tem 10 mil pessoas usando sua plataforma?

Um passo nesse ecossistema já gera uma nova pergunta ao melhor nível investidor de risco querendo ver resultado do seu dinheiro investido o mais rápido possível.

No entanto, tem coisa que precisa de tempo para amadurecer e não acontece de uma hora para a outra.

Não importa o quanto se dobre o capital e a mão de obra investidos.

Lembre-se, nove mulheres não fazem um bebê em um mês.

Além disso, veja só o que temos até agora com o Bitcoin.

Ele acabou de completar uma década e possui pelo menos dez características disruptivas que podem ser percebidas por diversos prismas e entregar as mais diversas aplicações.

– Política monetária imutável

– Escassez digital

– Escassez absoluta

– Sistema de liquidação global

– Rede autossoberana

– Dinheiro sem Estado

– Consenso global

– Funcionalidades adaptativas

– Segurança adaptativa

– Programabilidade

Essas características já entregam valor separadamente, mas juntas criam um monstro a favor do indivíduo e contra o Estado.

Esse tipo de inovação já poderia nos satisfazer como sociedade por pelo menos mais 50 anos, mas o Ethereum extrapola essas características do Bitcoin e entrega mais valor ainda.

É como se o raio da disrupção tivesse caído duas vezes no mesmo lugar, um logo depois do outro.

O poder transformacional dessas duas invenções já está dado e basta mergulhar um pouco nesse universo para entender seu potencial.

O que falta é a adoção por parte das pessoas comuns, que, de uma maneira ou outra, vai vir com o tempo e também com as gerações mais novas chegando ao mercado de trabalho.

Pode demorar mais do que as nossas previsões exponenciais desejam, mas inevitavelmente vai acontecer.

Aquele abraço,

André Franco

Inscreva-se em nossa newsletter