Pai, essa é pra você

Não é necessário muito tempo no mercado cripto para entender que muitos investidores funcionam como torcedores, por manifestar principalmente dois tipos de comportamento. O primeiro […]

Não é necessário muito tempo no mercado cripto para entender que muitos investidores funcionam como torcedores, por manifestar principalmente dois tipos de comportamento.

O primeiro deles é que as decisões de investimento podem ser muitas vezes pouco racionais e guiadas pela emoção. É aquele cara que investe e começa a torcer para o ativo subir. Como o torcedor vascaíno que segue acreditado em um futuro melhor.

Abraço, pai, essa foi pra você.

Outra conduta que aproxima o investidor cripto do torcedor são as pequenas vitórias frente aos rivais que desembocam em provocações por um curto período de tempo, como semanas ou dias, mas sem concretude no longo prazo.

Se meu ativo subiu em relação ao seu nessa semana é suficiente para eu falar que o meu investimento é melhor. Como após uma vitória em um clássico.

Novamente, usaremos o Vasco como exemplo. Basta uma vitória sobre o Flamengo por um gol para o Seu Eurico afirmar que “o respeito voltou”. “Ponto. O respeito voltou.” Outro beijo, pai, essa também foi pra você.

E, por mais anormal que seja, o melhor jeito de você deixar de ser torcedor é controlar a sua alocação. Cinco por cento do seu capital faz mágica para não jogar você nessa posição na arquibancada. Afinal, essa pequena quantidade deixa o coração e o bolso apenas 5 por cento entregue.

É quase como torcer pelo time do seu amigo ou, no meu caso, pai. Se o time dele ganhar, legal, fico feliz, mas se perder, não vou sofrer por isso.

Fora isso, a outra principal dica nesse mercado é ter paciência.

Imagine você que um ano atrás fizemos um curso destinado àqueles que queriam letrar-se em criptoativos.

Trouxemos várias pessoas com o intuito de ensiná-las a analisar ativos desse mercado nascente. Um imenso desafio, dada a dinâmica do mercado e também a falta de boas ferramentas para conseguir dados.

Naquele momento, o preço do bitcoin estava em torno dos 6.700 dólares. Comprando por esse preço e depois de muitos altos e baixos, essa operação estaria dando um lucro de aproximadamente 20 por cento.

Um ano depois, com muita paciência e estômago, o investidor cripto estaria saindo do prejuízo e começando a triunfar.

Isso sem falar naquele que seguiu nossa metodologia apresentada e continuou comprando bitcoin pouco a pouco com as quedas.

Esse já deve ter quase dobrado o capital investido.

E, vai por mim, são esses multiplicadores que buscamos nesse mercado. Não é um jogo de percentuais, mas de múltiplos: 2, 3, 5 ou até 10 vezes são o potencial dos criptoativos.

Se quiser entender os motivos pelos quais acredito na volta do mercado, leia este documento aqui.

Abraços,

André Franco

Inscreva-se em nossa newsletter