Um corinthiano na torcida adversária

Feriado, para quem mora em São Paulo, é um momento de decisão sobre: sair ou ficar na cidade. Se decidir sair, saiba que vai enfrentar […]

Compartilhe:
Um corinthiano na torcida adversária

Feriado, para quem mora em São Paulo, é um momento de decisão sobre: sair ou ficar na cidade.

Se decidir sair, saiba que vai enfrentar trânsito tanto na ida quanto na volta. Não tem atalho pra isso.

É aquele trânsito no esquema estacionamento rotativo: o carro da frente sai, você estaciona na vaga dele. Então, o veículo atrás de você, imediatamente, estaciona na sua vaga e assim por diante…

Por isso, sempre que tenho a opção, prefiro receber as pessoas por aqui a ter que me deslocar de São Paulo.

Dado esse fato, eu aparento um ótimo anfitrião convidando meus pais em vários feriados para virem para cá.

No entanto, como você já percebeu, os motivos são outros e agora eles já sabem a razão de tamanha simpatia.

Seguindo com a nossa história, meus pais ficaram por aqui por três dias e, nesse período, eu tentei proporcionar uma cidade que nem eu mesmo tenho muito conhecimento, sem trânsito e com muita coisa pra fazer.

Digo isso porque meu programa aos finais de semana é basicamente descansar e não sair para aproveitar a cidade com as suas atrações, que não são poucas.

Meu sábado e domingo não precisam de muita coisa além de um sofá, uma TV e FIFA18, mas, quando estou com meus pais, eu tento sair um pouco dessa rotina.

Então, decidi levá-los ao jogo do São Paulo, basicamente porque meu pai e minha irmã são torcedores tricolores. Minha mãe é daquelas que torce apenas para o Brasil e eu sou corinthiano.

Por razões óbvias, a emoção do meu pai, da minha irmã e de todos os são-paulinos ao meu lado não me contagiava.

Quando o som das arquibancadas era apenas uma voz unificada, eu pouco entendia aquele sentimento.

Realmente, aquele clima todo não me apetecia de forma alguma, pois era como ver um monte de gente gritando sem sentido algum.

Acho que aquilo que chamam de time de coração é muito verdade mesmo.

A maioria ali, assim como os demais torcedores de outros times, ultrapassam a linha daquilo que é racional e passam a agir sentimentalmente, com o coração.

E isso é também muito comum no universo que tratamos nas nossas newsletters.

Diariamente lemos relatos da comunidade que cerca cada criptoativo e eles quase sempre são escrito por torcedores de coração e não investidores.

No Empiricus Crypto Alertnão temos cripto de coração e nem somos torcedores de algum ativo.

Buscamos os melhores investimentos que fazem sentido para os nossos assinantes sem nenhum apego emocional.

E quando digo que “gostamos” mais de um ativo do que de outros é só uma maneira simples de expressar em uma palavra o nosso ponto de vista racional estudado.

Somos, realmente, duros com cada proposta que nos deparamos para não agir como torcedores, e sim, como investidores.

O segredo de uma boa avaliação desse mercado é ser um torcedor corinthiano na torcida adversária.

Só assim você abre mão do seu lado fanático e deixa de ser um torcedor para virar, realmente, um investidor.