Empiricus Play

JHSF3: ainda vale comprar?

Uma empresa de um segmento que gera dúvidas nos investidores é o tema deste vídeo. JHSF, que tem participação em 4 shoppings, é a companhia que Henrique Florentino analisa hoje.

Compartilhar artigo
Data de publicação
9 de abril de 2021
Categoria
Empiricus Play

Uma empresa de um segmento que gera dúvidas nos investidores é o tema deste vídeo. JHSF, que tem participação em 4 shoppings, é a companhia que Henrique Florentino analisa hoje.

Com participações nos shoppings Cidade Jardim, Catarina Fashion Outlet, Ponta Negra e Bela Vista, a empresa tem um portfólio com desempenho superior aos seus concorrentes:

– Same Store Sales: em 2020 a média do setor caiu 29%, enquanto JHSF caiu apenas 19,8%;
– Same Store Rents: no mesmo ano JHSF caiu 24,4% e seus concorrentes, 20%;
– Taxa de ocupação: no ano passado, JHSF fechou em 97% e seus pares, 94,5%;
– Custo de ocupação: enquanto seus correntes fecharam 2020 em 12%, a JHSF encerrou o ano em 9,6% (número que indica abertura de espaço para aumento de aluguel no futuro maior parceria com lojistas).

Além disso, a empresa está inserida no setor de incorporação. Aqui é importante lembrar que com a recente elevação na curva de juros o setor sofreu como um todo, embora o perfil de consumidor da companhia não seja tão sensível ao aumento do juros.

A JHSF também tem participação nos setores de gastronomia e hospitalidade, com a marca Fasano, além de um aeroporto, no valor de 530 milhões de reais.

Olhando o todo, é possível fazer a soma das partes e chegar ao cálculo de que a empresa vale aproximadamente 3,9 bilhões de reais, resultando em um valor de R$5,80 por ação. Levando esse dado em consideração, sem colocar na conta nenhum projeto futuro, a empresa está 15% abaixo da cotação de mercado.

Mas por que olhar para JHSF3?  Existem projetos futuros sendo desenhados pela companhia, entre eles expansões de shoppings e incorporação, adicionando R$1,26 e R$3,20 por ação, respectivamente. Além disso, é preciso considerar uma abertura maior da economia no segundo semestre, o que ajuda todos os segmentos da empresa.