Empiricus Play

3 classes de fundos para 2022: como ganhar dinheiro em cenário de inflação alta

Bruno Marchesano, analista da série Os Melhores Fundos de Investimento, revela alternativas para buscar ganhos reais, acima da inflação

Compartilhar artigo
Data de publicação
11 de maio de 2022
Categoria
Empiricus Play

Com o IPCA atingindo 2 dígitos no acumulado de 12 meses com a marca de 12,13%, é importante que o investidor se posicione em ativos que sejam capazes de entregar ganhos reais, ou seja, acima da inflação.

Saiba quais são as 3 classes de fundo que devem estar na sua carteira em 2022. Fonte: Freepik


Em novo vídeo, Bruno Marchesano, analista da série Os Melhores Fundos de Investimento, revela quais as 3 classes de fundo que devem estar na carteira dos investidores em 2022, driblando e até lucrando em cima da inflação.

  1. Fundos listados de debêntures incentivadas

Os fundos listados negociam em bolsa com tickers parecidos com os de fundos imobiliários (final 11) e compram dívidas de empresas e projetos de infraestrutura. 

Esses títulos têm benefícios tributários que os isentam de impostos, de modo que o fundo acaba sendo totalmente isento de tributação nas vendas. 

A remuneração desse fundo é atrelada à inflação (IPCA), acrescida de um ganho real (uma taxa adicional), variando de acordo com a carteira. “Esses fundos possuem ativos de crédito diferentes dos que são encontrados em corretoras”, afirma Marchesano. 

Isso porque as corretoras apresentam ofertas de debêntures incentivadas avulsas, mas os fundos têm acesso a operações exclusivas e diferenciadas, com retornos maiores, ou até estruturam suas próprias operações.

Dessa maneira, embora os fundos tenham taxas de administração, eles têm retorno iguais ou até maiores do que os títulos avulsos que são encontrados no mercado.

Com isso, podem ser listados alguns benefícios, como a redução de risco em virtude da carteira diversificada; a liquidez diária por ser um fundo negociado em bolsa; e a gestão profissional de todos os títulos da carteira, avaliando a melhor posição a ser tomada conforme a precificação do mercado e as novas oportunidades.

No entanto, é importante ressaltar cuidados como: consultar constantemente o retorno esperado da carteira atual, disponível no site do fundo; verificar se o fundo está negociando com ágio (mais caro do que vale) ou deságio (mais barato do que vale); e se atentar ao risco da carteira escolhida.

  1. Fundos de ações

“Esses fundos chamam a nossa atenção, pois há muitos setores dentro da bolsa que estão muito baratos”, fala Marchesano. Ele cita alguns exemplos como shoppings e varejo, que oferecem várias oportunidades no momento.

As oportunidades, por sua vez, são identificadas por gestores profissionais com grandes equipes dedicadas a compor a carteira da melhor forma possível, configurando outra vantagem de investir nessa categoria.

Outro ponto positivo é a possibilidade de ter uma carteira diversificada com pouco dinheiro. Ao aplicar certa quantia em um fundo, estão inclusos diversos ativos na carteira.

Como sempre, esse tipo de investimento requer alguns cuidados prévios. Entre eles, entender o perfil do gestor além de analisar somente o retorno; ter uma carteira previamente diversificada com proteções; e um horizonte de longo prazo, podendo ser de 3 a 5 anos.

  1. Fundos Multimercados

“Muitos dizem não que não é possível ganhar dinheiro com multimercados em períodos de alta nos juros, mas isso não é verdade”, afirma o analista.

Os fundos multimercados podem operar renda fixa, moedas (câmbio), ações, entre outros ativos, como crédito. 


Durante altas de juros, eles podem ficar não só comprados em títulos, mas também vendidos. “Ou seja, eles podem apostar na alta de juros, e podem fazer isso no mundo inteiro, não só no Brasil”, afirma Marchesano.

Ele explica, ainda, que, apesar da queda da bolsa, muitos fundos tiveram bastante retorno por surfar a onda de alta nos juros: “Alguns tiveram quedas devido à bolsa, mas reduziram as perdas com os juros, mantendo-se estáveis”.

Agora que a alta de juros pode estar chegando ao final de seu ciclo no Brasil, os fundos multimercados têm a vantagem de operar esse momento em mercados de outras partes do mundo. Além dos juros, esses fundos também podem ganhar com a alta da inflação.

Marchesano enfatiza que no Brasil existe uma vantagem decorrente de os gestores estarem amplamente acostumados com cenários inflacionários e terem muito mais facilidade para encontrar formas de ganhar dinheiro em cima disso, ao contrário dos gestores americanos, por exemplo, que não se deparam com inflação há mais de 40 anos.

Os gestores de multimercado, por terem um panorama mais aprofundado de como investir em meio à inflação, sabem surfar essa onda em outros mercados globais, não só no Brasil, configurando uma vantagem significativa.

Quais os melhores fundos dentro dessas categorias?

Para saber quais os melhores fundos para investir dentro das categorias destacadas, basta se tornar assinante da série Os Melhores Fundos de Investimentos, dos analistas Bruno Mérola e Bruno Marchesano.

Assim, é possível ficar por dentro de diversos conteúdos como relatórios, vídeos e análises referentes a essa modalidade de investimento. Para acessar, clique aqui.