Empiricus Play

Qual banco se saiu melhor no segundo trimestre: Itaú (ITUB4), Santander (SANB11) ou Bradesco (BBDC4)? Confira o balanço do 2T21 com analista

Larissa Quaresma, analista de ações, compara o desempenho dos três maiores bancos privados do Brasil no segundo trimestre do ano

Compartilhar artigo
Data de publicação
11 de agosto de 2021
Categoria
Empiricus Play

Os balanços do segundo trimestre continuam saindo e, agora, é a vez da análise dos resultados dos maiores bancos privados: Itaú (ITUB4), Santander (SANB11) e Bradesco (BBDC4).  

Comparando a agenda trimestral dos bancos, é possível que o investidor encontre aquele ativo que mais lhe apetece e tem mais potencial de entrega de um bom retorno. 

Veja a comparação entre os desempenhos dos bancos:

Com base nos dados divulgados, a analista da Empiricus Larissa Quaresma observou discrepâncias no desempenho dos bancos no último trimestre com base em alguns tópicos centrais:

  • Receita de crédito: 

A começar pelo crescimento da carteira de crédito, o Santander apresentou maior crescimento do que seus concorrentes, assim como no primeiro trimestre. Crescendo 3,5 pontos percentuais, ele superou o Bradesco que  avançou 3,4 pontos (valor inferior ao trimestre anterior) e o Itaú ficou em maior desvantagem, com  crescimento de apenas 2,4 pontos percentuais. 

  • Inadimplência:

Nesse quesito, o Santander apresentou a maior taxa de inadimplência. Larissa atribui isso ao fato da carteira de crédito do banco ser mais arrojada do que a dos outros dois, com maior participação de clientes pessoas físicas e de pequenas e médias empresas. O Itaú, por exemplo, tem uma carteira mais conservadora,  concentrada em grandes empresas. 

No prazo de 15 a 90 dias, o Santander foi o que apresentou maior crescimento de inadimplentes. No prazo de 90 dias ou mais de inadimplência, os três apresentaram uma queda no índice, variando entre -0,5% (Bradesco e Itaú) e -0,2% (Santander).

  • Receita de serviços:

Quanto ao crescimento anual da receita de serviços, o Santander superou os concorrentes – isso sem contar com a venda da empresa Getnet. 

Mesmo em um momento de dificuldade, diante do avanço dos bancos digitais, nota-se que o Santander ainda conseguiu prosperar com 26,8% de aumento, seguido pelo Itaú (14,8%). Ambos os bancos superaram os 26,2% de queda do Bradesco.  

  • Eficiência: 

O Índice de Eficiência é medido pelas despesas em razão da receita de uma instituição ou empresa. Portanto, quanto menores forem os pontos percentuais, menos despesas. O Santander apresentou uma taxa de -1,9%, enquanto o Bradesco e o Itaú apresentaram -2,0%. Segundo a analista, todos eles seguiram na faixa negativa, o que significa bons resultados. 

Comparando os três, também repara-se que o Santander tem entregado um ROE (retorno sobre patrimônio líquido) melhor do que os dois outros bancos privados. Sendo 21,6% contra 17,5% (Bradesco) e 18,9% (Itaú).

Assim, conforme a análise dos balanços, Larissa enxerga no banco Santander (SANB11) o melhor desempenho no período.

Para saber mais sobre o desempenho dos grandes bancos privados, confira o vídeo acima com participação da Larissa Quaresma, analista da maior casa de análise financeira do Brasil, a Empiricus. 

Fica também o convite para conferir a série Melhores Ações da Bolsa, que conta com a Santander Brasil (SANB11) e outras ações para o investidor e já entregou 175% aos investidores desde a sua criação. (Confira aqui.)