Investimentos

Alupar (ALUP11) pode ter forte desalavancagem gerando dividendos robustos para este ano e 2023

Resultados no 1T22 da companhia apontam diminuição do endividamento e permitiram o recente anúncio de pagamento da primeira parcela de dividendos aos acionistas; acompanhe a análise de Fernando Ferrer

Compartilhar artigo
Data de publicação
23 de maio de 2022
Categoria
Investimentos
Imagem de torres de energia ao entardecer. Elas fazem alusão ao ramo da empresa Alupar
Reprodução: Freepik

A Alupar (SA: ALUP11), holding com ampla malha nacional de transmissão de energia e que também conta usinas de geração elétrica, pode reduzir fortemente suas dívidas, o que, por sua vez, abrirá caminho para o pagamento de maior volume de dividendos aos acionistas neste ano e em 2023.

O apontamento foi feito pelo analista da Empiricus, Fernando Ferrer, em recente relatório aos assinantes da série As Melhores Ações da Bolsa. Na publicação, o analista-chefe da série avalia que à medida que projetos de transmissão sejam concluídos, a companhia ganhará mais competitividade no mercado.

“Temos no nosso radar dois projetos que terão término até o fim do ano”, comentou. “São eles: usina fotovoltaica de Pitombeira, no estado Ceará, e os dois parques eólicos Agreste Potiguar, no Rio Grande do Norte”, complementa.

Na prática, isso significa que a holding aumentará sua capacidade produtiva energética, o que, por sua vez, terá efeitos positivos sobre os seus resultados operacionais, diminuindo a alavancagem, isto é, o seu endividamento, o que poderá gerar uma maior fatia dos lucros à base acionária.

Resultados do 1T22 em linha com a projeção do analista

No balanço do 1T22, a ALUP11 reduziu a sua dívida líquida para R$ 7,8 bilhões, uma queda de 2,3% em relação ao fim de 2021. Isso significa que a dívida líquida/EBITDA da companhia baixou, ficando por volta de 3,1X, diminuição na comparação com o ano anterior quando registrou 3,9X. Ou seja, a Alupar tem buscado um endividamento saudável.

“Tivemos uma queda no indicador dívida líquida/Ebitda na comparação com dezembro de 2021, quando observamos 3,4X”, reforça o analista. No entanto, pontua Ferrer, conforme os meses forem passando, a alavancagem da Alupar poderá cair, abrindo espaço para o pagamento de 7% de dividend yield para este ano e mais para o ano que vem.

No que se refere a receita líquida da companhia, foi observado queda de 20%, para R$ 1,28 bilhão. No entanto, desse total, o lucro líquido societário foi de R$ 431,4 milhões, aumento de 33,3% em comparação ao 1T21.

“Não à toa, conforme o comunicado da companhia, os números são consequência de um aumento de 2,1% no lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações [Ebitda, na sigla em inglês]”.

Anúncio de dividendos

Imagem de uma floresta com o logotipo da Alupar sobreposto
Reprodução: Youtube/ Institucional Alupar

Na sexta-feira (20), a Alupar divulgou comunicado aos acionistas e ao mercado sobre a aprovação do pagamento da primeira parcela de dividendos para 31 de maio de 2022.

Conforme a carta, serão divididos entre a base societária da companhia R$ 131,8 milhões, sendo R$ 0,15 por ação ordinária e preferencial, além de R$ 0,45 por unit (Certificado de Depósito de Ações) lastreada em ações ordinárias e ações preferenciais de emissão da companhia. Terão direito ao recebimento desses dividendos os acionistas que estavam inscritos na companhia até o final de 11 de abril de 2022.