Investimentos

O Que é Bitcoin (BTC) e Como Investir?

Tudo o que você precisa saber sobre a Criptomoeda Bitcoin (BTC). O que é? Como Comprar? Como Investir com Rentabilidade. Saiba dos riscos e benefícios.

Compartilhar artigo
Data de publicação
21 de janeiro de 2021
Categoria
Investimentos

A história é contada em retrospectiva, e não enquanto está acontecendo. Isso porque historiadores e professores a estruturam como uma sequência de fatos que parecem se concatenar muito bem, dando a noção ao ouvinte ou leitor de que os resultados eram óbvios e previsíveis, mas sabemos que isso não é verdade.

E se de alguma forma é possível contar a história do Bitcoin (BTC) no momento em que ela acontece, eu diria que o ano de 2020 teve inúmeros fatos que nos fazem crer que só olhando para trás as pessoas entenderão a grandiosidade deles.

Foi em 2020 que o Bitcoin voltou a ficar em evidência, não só por ter se mostrado um dos melhores investimentos do ano, mas também por ter conquistado a confiança dos investidores institucionais. Inclusive, alguns antigos detratores finalmente perceberam a oportunidade que estava diante a eles. É o caso de Michael Saylor, que em 2013 tuitou: “Os dias do bitcoin estão contados. Parece apenas uma questão de tempo até que ele sofra o mesmo destino das apostas online”.

Tuíte do CEO da MicroStrategy falando sobre bitcoin em 2013

Tuíte do CEO da MicroStrategy falando sobre bitcoin em 2013

Michael Saylor teve a humildade de se redimir, e na posição de CEO da MicroStrategy tomou a decisão que a tornou a primeira empresa a se expor a essa classe de ativos. Essa atitude teve um efeito cascata, sendo seguida por outras empresas, fundos e bilionários, que decidiram alocar de forma pública ou secreta em bitcoin.

Mas se até o smart money está sinalizando otimismo para esse mercado, você deve estar se perguntando se não deveria fazer o mesmo, correto? Então, se você também está interessado no assunto, devore este conteúdo. Aqui, você saberá o que é o bitcoin, como funciona, quanto vale e se vale a pena investir.

O que é bitcoin? E quem é Satoshi Nakamoto?

Silhueta de homem usando o computador

O autor (ou autores) do conceito e concepção do Bitcoin é conhecido por Satoshi Nakamoto.

O Bitcoin é uma moeda digital usada para transações comerciais. Com ela, compra-se produtos ou serviços, assim como fazemos com o real, o dólar, o euro ou qualquer outro tipo de dinheiro. A grande diferença é que ela não existe fisicamente, não é uma nota com o rosto de um presidente ou um animal da nossa fauna. O bitcoin é um código.

Ele foi criado pelo misterioso Satoshi Nakamoto, que alega ser um japonês que já ultrapassou os 40 anos. Porém não se sabe ao certo se é realmente uma pessoa ou um grupo de programadores.

Em 2008, Satoshi publicou o documento que tornou conhecido o conceito do bitcoin. No ano seguinte, ele aplicou o código e garimpou as primeiras moedas digitais.

Em um post publicado na P2P Foundation, Satoshi Nakamoto explicou que o propósito da sua criação era oferecer uma moeda que não dependesse da intervenção de governos ou instituições para ser confiável nem sofresse interferências na valorização por causa de eventos políticos, e cujo valor se medisse por transações diretas e livres de intermediários.

Ao contrário do dinheiro convencional, que pode ser emitido inúmeras vezes sempre que os governos sentirem necessidade (o que aumenta a inflação e pode agravar crises já existentes), o bitcoin é limitado.

Seu código foi idealizado de forma que apenas 21 milhões de moedas possam ser produzidas. Até hoje, já foram mineradas 16 milhões. E a cada quatro anos fica mais difícil a sua criação.

Além disso, a criptomoeda é descentralizada. Não existe um servidor único ou local físico onde são criadas todas as moedas. Qualquer um pode acessar a rede de computadores e minerar um bitcoin. Mas não pense que essa é uma tarefa fácil. É preciso conhecimento em programação e muita dedicação para desvendar o código.

O Bitcoin é seguro?

Se o Bitcoin é descentralizado e não existe fisicamente, como pode ser seguro?

Essa é uma dúvida muito comum entre os iniciantes no assunto. Mas a resposta é simples.

Correntes Digitais - Blockchain

O blockchain é o livro contábil do bitcoin.

A segurança do bitcoin é garantida graças a um código matemático complexo e único. Soma-se a isso o fato de que toda moeda é gerada e fiscalizada por uma rede de transações chamada blockchain.

O blockchain é uma tecnologia que funciona como um livro de registros ou um livro contábil. Todas as transações feitas no mundo inteiro com a moeda virtual estão registradas ali. Dessa forma, é garantida a segurança e a integridade da moeda à prova de hackers.

Toda vez que uma transação é feita, um novo código é gerado e adicionado ao código preexistente do bitcoin, tornando impossível sua falsificação. Para um hacker roubar um bitcoin, ele precisaria hackear todos os computadores da rede ao mesmo tempo.

Cheguei tarde para a festa?

Quando notamos uma alta valorização de um ativo, muitas vezes acende um sinal de alerta: será que eu perdi o bonde? Ou, ainda, um discurso comum (e leviano) em relação ao bitcoin: será que é bolha?

Pra responder a isso, primeiramente é importante entendermos em que ponto estamos. 

O bitcoin, como toda tecnologia disruptiva, tem sua evolução dividida em fases. Para ilustrar isso, fazemos um paralelo com o modelo desenvolvido por Carlota Perez, renomada pesquisadora especialista em mudanças de paradigma tecnoeconômico, sobre o comportamento do surgimento de novas tecnologias.

Modelo do surgimento de tecnologias disruptivas

A análise da história do bitcoin e do modelo em questão nos leva a crer que ainda estamos na primeira fase, com um longo caminho ainda a ser percorrido.

E antes que você se precipite em pensar que o crash apontado pela autora no seu modelo seja o bear market de cripto que vivemos em 2018, quero dizer que não acredito nisso. Naquele momento, essa classe não chegou a valer nem ao menos US$ 1 trilhão, o que não a colocou em um patamar de comparação com o que foi a bolha pontocom. Por isso, creio que estejamos ainda na construção da fase de frenesi, que, segundo Carlota, será bancada pelo capital institucional, o que sem sombra de dúvidas está acontecendo. 

Com base nessas informações, tudo nos leva a crer na continuidade do potencial de valorização do bitcoin. E não somos só nós que acreditamos nisso, como podemos ver nesta previsão de mercado feita pelo JP Morgan:

Bitcoin pode alcançar US$146 mil conforme vire ouro digital - CNN

Ou ainda, de forma mais otimista, pelo Citibank:

Se você quiser entender um pouco mais dos motivos que levariam o bitcoin a passar dos US$ 100 mil, recomendo que assista ao vídeo do nosso especialista em criptomoedas André Franco em que ele fala do tema: 

Então, se quiser saber como investir com segurança, sem cair nas armadilhas da internet, conheça a série assinada por André Franco, o Empiricus Crypto Legacy.

Agora que você já sabe o que é bitcoin e que ele é seguro, é preciso saber como comprar a criptomoeda.

Como comprar Bitcoin?

  1. Faça o cadastro em alguma corretora oficial;

  2. Entre no sistema utilizando seu novo cadastro;

  3. Confira seus dados e transfira o dinheiro para sua conta;

  4. Utilize a plataforma da corretora para comprar seu bitcoin (ou uma fração da criptomoeda);

  5. Armazene os bitcoins em algum sistema de carteira virtual.

Por ser digital, toda operação de compra e venda também é feita online, por meio de plataformas específicas, também chamadas de exchanges. Então, basicamente, você vai precisar de um CFP válido e um computador ou dispositivo móvel conectado à internet.

No Brasil, as plataformas para compra e venda de bitcoin têm se popularizado. As mais famosas nacionais são Mercado Bitcoin, BitcoinTrade e Foxbit. Mas recentemente o maior player global, a Binance, entrou no mercado brasileiro como uma nova, e excelente, opção.

Se você já tem conta em corretora, vai achar o processo muito simples, já que é praticamente igual. E o sistema de compra e venda é semelhante ao home broker.

O cadastro mais simples e que sugerimos é na Binance. A plataforma é fácil de usar e oferece um dos mais completos portfólios de criptomoedas disponíveis. 

Aberta a conta em uma dessas plataformas, basta transferir o dinheiro e fazer a compra, que pode ser de vários bitcoins ou frações da moeda a partir de R$ 50.

Assim, como em uma corretora convencional, não é recomendado que você deixe dinheiro parado na conta, pois as corretoras são um alvo em potencial para hackers. Apesar de investirem milhões em segurança, e até oferecerem fundos para ressarcimento dos clientes em caso de roubos, existem maneiras mais seguras de manter os seus ativos.

A melhor forma de armazenar Bitcoin

Talvez a parte mais complicada de ter bitcoins é encontrar uma forma segura de armazenar os seus ativos. 

No mercado existem diversas alternativas, e vamos apresentar algumas delas.

Carteira mobile – Jaxx Liberty

Jaxx Liberty

Uma carteira mobile é um aplicativo de celular, e se apresenta como uma alternativa prática e versátil para quem quer manter seus ativos com fácil acesso. A Jaxx Liberty está disponível tanto para iOS quanto para Android, e apresenta como um diferencial importante a possibilidade de acessar as chaves privadas da sua carteira, que devem ser guardadas em segurança como uma segunda camada de proteção caso você perca o acesso ao aplicativo.

Carteira desktop – Exodus

Exodus Carteira

As carteiras desktop são softwares similares à opção anterior, mas no seu computador. Apesar da desvantagem de não serem práticas de levar pra lá e pra cá, podem ser uma alternativa mais segura justamente por esse ponto, afinal, é muito mais fácil roubarem o seu celular, que está sempre com você, do que o seu computador. A Exodus está disponível para Windows, Mac e Linux, e pode ser baixada aqui.

Carteira offline – Ledger Nano S

Ledger Nano S

As carteiras offline, com o próprio nome sugere, não estão conectadas à internet, pois são dispositivos físicos como um pendrive ou pedaço de papel. Do ponto de vista de segurança da informação, elas são as opções mais seguras, justamente por não poderem ser hackeadas.

Dentro dessa opção, a Ledger Nano S se destaca como uma das mais populares e seguras. Mas é importante frisar que é um item de custo elevado, que pode ser adquirido no site oficial ou por meio de algum importador de confiança.

Fundos de investimento – Vitreo Criptomoedas

Vitreo

Os fundos oferecem outra alternativa para se expor a esse tipo de mercado, mas sem precisar se preocupar com a custódia dos ativos. Dessa forma, você confia tanto a gestão de alocação de investimento quanto a própria custódia a profissionais qualificados. Caso você se interesse por essa opção, a Vitreo possui um fundo inspirado nas ideias das nossas publicações do Exponential Coins, sendo a maneira mais fácil e descomplicada de ter as melhores criptomoedas em seu portifólio.

Quero investir em bitcoin, e agora?

Se você está disposto a investir em bitcoin, deve considerar alguns fatores antes de dispender uma grande quantia de dinheiro.

Assim como acontece no mercado de ações, os preços podem variar muito. E no universo cripto os ativos são especialmente mais voláteis. 

Você pode ganhar 1.000% ou perder 100%, talvez menos, talvez mais.

Na Empiricus, acreditamos que se trata de um mercado em consolidação, ainda muito sensível, em que qualquer novidade é capaz de engatilhar movimentos expressivos de valorização.

O mercado da criptomoedas vai muito além do bitcoin. Há uma série de novas moedas digitais que ainda estão em fase embrionária.

São ativos negociados hoje na casa de centavos, capazes de explodir de preço da noite para o dia.

Em virtude disso, criamos um relatório específico para analisar a fundo esse mercado. Chama-se Empiricus Crypto Legacy.

Com esse relatório, o investidor:

  1. Encontrará o caminho mais inteligente e rápido para começar a investir no mercado de criptomoedas.

  2. Saberá em quais dessas novas moedas digitais investir, pensando nos eventos com potencial de realização nas próximas semanas.

  3. Será orientado sobre quais moedas comprar, como e quando comprar, e por qual valor comprar.

Para saber mais, acesse Empiricus Crypto Legacy.

Como faço para minerar bitcoins?

Para minerar bitcoin é preciso saber o mínimo de programação e ter muita disposição.

Se mais do que investir você quer minerar Bitcoin, é bom estar preparado.

Aparentemente é simples: tenha um computador ligado à internet e instale um software de mineração. Ele começará a processar novas criptomoedas e a validar transações na rede. A cada período de tempo determinado, você ganhará uma pequena fração de Bitcoin.

Mas já falamos aqui que o código se modifica automaticamente para que o processo de criação de moedas seja cada vez mais complexo, uma vez que ele foi desenho para que existam apenas 21 milhões de bitcoins.

Portanto, não recomendamos que você comece a minerar bitcoin hoje. A dificuldade é tão grande que o desgaste do seu computador e a conta de luz mais internet provavelmente ultrapassariam o lucro obtido minerando.

Conclusão

Parece que a euforia pela moeda virtual não vai passar tão cedo. A cotação do bitcoin não para de subir.

Este código único revolucionou a relação com o dinheiro, mas ainda é cedo para afirmar que é um sucesso incontestável.

Aos interessados em investir, recomendamos cautela. Comprar bitcoin é um investimento arriscado. Não comprometa uma parcela importante do seu patrimônio.

Uma vez decidido a investir, não se esqueça de guardar seu saldo em um local seguro. Opte por uma carteira bem avaliada e faça algum tipo de backup.

Não podemos prever se um dia o bitcoin substituirá as moedas oficiais dos países, mas essa realidade não é impossível. Ter uma moeda global mudaria completamente a economia e o mundo como o conhecemos.

Estude e acompanhe de perto o mercado para tomar as melhores decisões de investimentos, seja em moedas virtuais ou outro ativo financeiro.

Bitcoin é bolha? É fraude? Especialista responde sem medo às perguntas

Ricardo Mioto entrevista André Franco, editor de criptomoedas da Empiricus, fazendo as perguntas mais comuns sobre essa classe de ativos.