Day One

Arboterapia: abrace árvores em tempo de pandemia

“Em algum momento de suas andanças pelo mundo dos investimentos, você deve ter se deparado […]”.

Compartilhar artigo
Data de publicação
14 de julho de 2022
Categoria
Day One
ARBOTERAPIA
Fonte: Free Pik

Em algum momento de suas andanças pelo mundo dos investimentos, você deve ter se deparado com as expressões top-down e bottom-up.
 
Elas refletem dois pontos de vista distintos entre onde começa e onde termina um exercício analítico.
 
Você pode começar de cima (macro) e terminar embaixo (micro); ex. constatar o gargalo na oferta mundial de petróleo e buscar uma ação de oil & gas para se posicionar nisso. 
 
Ou pode privilegiar as vantagens comparativas de um negócio específico, independente de estar chovendo lá fora (ex. formidável prévia 2T22 de Iguatemi, com anti-inadimplência).

Top-down e bottom-up de fato ajudam a organizar raciocínio. Mas, pessoalmente, prefiro outro tipo de analogia, que tem a ver com árvores e florestas.
 
Existem pessoas que são boas em enxergar detalhes nas árvores, e existem pessoas que contemplam a holística das florestas.
 
Geralmente, essas duas pessoas não são a mesma pessoa, e não há hierarquia alguma entre elas.
 
Não podemos dizer que é melhor enxergar árvores, nem que é melhor contemplar florestas.
 
Porém, toda equipe de análise que alimente a louca ambição de bater o mercado precisa contar com representantes das duas classes de visão.
 
Eu não sou muito bom com os detalhes nas árvores. Dependo sobremaneira do Richard e do Ruy para me ajudar com isso. Sem eles, eu morreria de fome, pois frutos dão em árvores, não dão em florestas.
 
E como posso ajudá-los em troca?
 
Por meio de alguns lugares comuns, que sempre correm o risco de serem interpretados como expressões de niilismo.
 
– Contra fluxo, não há fundamentos.
 
– Nada é mais perene do que uma inflação temporária.
 
– Nada é mais temporário do que um Banco Central behind the curve.
 
– Brasil é, e sempre foi, uma grande fazenda. Governo ruim com commodities indo bem pode ser preferível a governo bom com commodities indo mal.
 
– Venda ao som do canhão (antes dos canhões) e compre ao som do violino (antes dos violinos).
 
– O que parece barato em deslocamento na curva é, na verdade, caríssimo em deslocamento da curva.
 
Entre o top-down e o bottom-up, ficamos por enquanto com o bottom-down. É o que temos para esta quinta-feira.
 
Quando você achava que o pior problema do mundo era o calor do CPI americano, chineses começam a suspender pagamentos de hipotecas sobre obras inconclusas.
 
Pode uma árvore pegar fogo sem que o incêndio se alastre por toda a floresta?