Para seu desconhecimento

Frequentemente, os ativos nos quais investimos nos encontram antes de serem encontrados por nós. O momento é ideal para investir em imóveis que sejam pobres, espertos e profundamente desejosos de enriquecer.

Compartilhe:
Para seu desconhecimento

Noto uma ampla cobertura recente sobre empresas que estão exigindo a contratação de estudantes com diplomas de MBA (…)

Se alguém com MBA se candidatar para uma vaga de trabalho aqui, é claro que não vamos usar isso contra o próprio candidato.

Mas nossa prioridade é a de encontrar pessoas com diplomas de PSD.

Foram as pessoas com PSD que construíram esta empresa do jeito que ela é hoje, e há muitas delas dando sopa no mercado de trabalho, justamente porque nossos concorrentes estão obcecados em restringir seus processos seletivos aos alunos de MBA.

Comecei o Day One de hoje transcrevendo o trecho de um memorando clássico que Alan Greenberg enviou, em 5 de maio de 1981, aos sócios do Bear Stearns.

Greenberg foi CEO e chairman do banco de 1978 a 2001. Algo me diz que o Bear Stearns continuaria vivo se Greenberg tivesse sido imortalizado por lá.

Infelizmente ele faleceu, mas não sem saciar nossa curiosidade.

Afinal, quem são esses PSDs mencionados pelo Alan? Seriam alunos do ITA?

Bem, não exatamente…

P = Poor (Pobre)
S = Smart (Esperto)
D = with a Deep desire to become rich (profundamente Desejosos de enriquecer)

A correta interpretação da sigla exige certo refino.

Por exemplo, os pobres não são necessariamente indivíduos em grave dificuldade financeira, mas sim aquelas raras pessoas que não estão satisfeitas com o status quo.

Os espertos, às vezes, podem ser também inteligentes ou esforçados (desde que continuem sendo sempre espertos).

E os desejosos de enriquecer querem melhorar de vida – melhorar suas próprias vidas e, preferencialmente, as das pessoas em volta. Com um detalhe importante: eles querem melhorar MUITO; não estão pensando simplesmente nos próximos meses.

Como o Day One de hoje é meu, e o Felipe está em viagem de Páscoa, eu poderia fazer uso de minha liberdade de expressão para dizer a você que na Empiricus seguimos religiosamente a máxima de Alan Greenberg, depois tropicalizada pelo Garantia.

Ou seja, topamos MBAs numa boa, mas gostamos mesmo é de encontrar os PSDs.

Mas, além de soar como um enorme clichê, seria terrivelmente arrogante de minha parte.

Não tenho nenhuma razão para acreditar que somos capazes de encontrar PSDs. Eles andam por aí muito bem disfarçados e, com seu faro apurado, não se deixam achar facilmente por um algoritmo do LinkedIn.

Na melhor das hipóteses, se estivermos prestando um bom serviço aos nossos leitores, os PSDs é que nos encontrarão, se assim quiserem.

Sem surpresa, vários dos 200 colaboradores que trabalham na Empiricus hoje eram assinantes de alguma de nossas publicações.

Eles nos encontraram muito antes de serem encontrados por nós.

Assim funciona também com os ativos nos quais investimos: frequentemente, eles nos encontram antes de serem encontrados por nós.

Quando eu lhe apresento uma oportunidade imobiliária, falo indiretamente sobre queda da Selic e reaquecimento da economia.

O momento é ideal para investir em imóveis que sejam pobres, espertos e profundamente desejosos de enriquecer.

Corroborando essa tese, o Banco Central reduziu o compulsório, junto a outras medidas para estimular o crédito.

No front político-policial, a PF mira uma bala de prata em diversos operadores que orbitam em torno de Temer, dando sequência a uma faxina que, às vésperas das eleições, precisa ser acelerada.