Seis ações à procura de um investidor

Se você quer, enfim, investir em uma ação, toque a campainha, peça licença, entre na casa dessa ação e veja quem lhe habita a cozinha, os banheiros, a sala de estar.

Compartilhe:
Seis ações à procura de um investidor

No Day One de quinta passada, escrevi que os ativos nos quais investimos frequentemente nos encontram antes de serem encontrados por nós.

Isso despertou alguma curiosidade nos leitores desta newsletter.

Quem é o sujeito da frase financeira?

Não é o investidor todo-poderoso que escolhe os ativos que quiser?

Ou pode uma ação escolher seu investidor?

Pois eu lhe digo que ações conseguem escolher investidores com muito mais acurácia do que a de investidores escolhendo ações.

Veja, o investidor Adão pode ter comprado a ação FRTA3 por qualquer motivo.

Talvez tenha ouvido a dica no happy hour, talvez se apaixonou por uma loira de Fraiburgo ou cultiva uma tara inexplicável por tickers começados com “F” (perdeu dinheiro em Fibria, mas está feliz com o buy & hold em Fleury).

Inúmeras são as histórias que conseguimos contar sobre um Adão construído aleatoriamente.

Bem mais restritas, porém, são as razões e emoções de FRTA3.

Entre as 747 pessoas físicas que possuem o papel, há mais semelhanças do que diferenças.

Eu desconfiaria que as 747 apostam num turnaround de geração de caixa, compartilham algum carinho pelo setor agrícola ou já perderam tanto com o carregamento de FRTA3 que se apegam agora à teimosia de uma retomada utópica, triunfal.

Você pode achar que a regra vale apenas para a diminuta FRTA3, mas funciona igualmente para os 287.866 indivíduos que detêm ações da Petrobras.

Há quem queira decifrar o perfil de um investidor por meio de sua carteira de ações.

Eu proponho a relação inversa, mais confiável estatisticamente: descubra o perfil de uma ação por meio de sua carteira de investidores.

Todo homem, inebriado por desejo de controle, se deixa controlar por seus mitos.

À medida que você deseja controlar o mundo, suas defesas se distraem, e seus mitos passam a controlá-lo.

Esses mitos têm vida própria e maior. Nasceram não só de você, mas de muitos homens.

Se você quer, enfim, investir em uma ação, toque a campainha, peça licença, entre na casa dessa ação e veja quem lhe habita a cozinha, os banheiros, a sala de estar.

São pessoas como você? Encontra-se, assim, em boa companhia?

Ou são bêbados que comem com as mãos, derrubam as taças no chão e, ao final da festa, resta-lhes o ultraje de exigir uma parte em dividendos?

As melhores recomendações da Empiricus não figuram em nossas carteiras de ações, mas, sim, em nosso universo de leitores costumeiros.

As Melhores Ações da Bolsa se traduzem nos Melhores Leitores da Bolsa.

E assim por diante.