Empiricus Educação

A próxima quebra de paradigma

“Com certeza você se lembra, ou ao menos ouviu falar, do início da popularização da internet […]”.

Compartilhar artigo
Data de publicação
3 de julho de 2022
QUEBRA DE PARADIGMA
Fonte: Free Pik

Com certeza você se lembra, ou ao menos ouviu falar, do início da popularização da internet. 

Nos primórdios, o acesso era limitado, caro, e o design da rede era pouco atrativo. Lembra da tela azul e dos pixels limitados?

Felizmente, a internet evoluiu muito nas últimas décadas. Mas será que chegamos num ponto de saturação?

Os movimentos recentes nos dizem que não. 

Como a internet vai (r)evoluir? 

Há quem pense que grandes revoluções têm datas de início marcadas, mas não é o que a história nos ensina.

Voltemos no tempo. 

Em 1996, quando Larry Page e Sergey Brin fundaram BackRub (que posteriormente se tornaria o Google) em um dormitório de Stanford, não havia qualquer consenso de que aquela invenção mudaria o mundo para sempre.

Os fundadores até poderiam nutrir uma grande esperança de querer mudar o mundo, mas, quando falavam disso em voz alta com seus colegas, soavam malucos.

Não culpo os tais colegas que não acreditavam tanto assim no potencial do projeto.

Quem à época imaginaria que um mecanismo de pesquisa causaria tamanho efeito na sociedade?

Bom, o consenso estava errado e hoje a empresa do dormitório negocia a USD 1,5 trilhão em valor de mercado.

O momento atual traz uma analogia parecida: podemos não ter a noção prospectiva das transformações que estamos vivendo, mas uma pequena ideia pode se tornar a quebra de paradigma entre o ultrapassado e o novo. 

Quando falamos da internet, o “novo” remete ao conceito de Web 3.0, que remete a uma internet descentralizada, mais versátil e mais acessível.

Uma internet descentralizada significa deixar de segregar os serviços e torná-los compartilhados, integrados e disponíveis ao maior número de usuários possível. 

Não existe data marcada para que a Web 3.0 se torne realidade. Porém, assim como o primeiro grande marco da internet foi o estopim para a fundação das Big Techs, uma nova disrupção também abre portas para novos negócios, profissões e formas de ganhar dinheiro. 

E quem já começa a caminhar nessa direção, desde já, tende a ganhar mais.

O ponto de partida para a Web 3.0 

Meu intuito hoje é ampliar sua visão sobre como as oportunidades que estão por vir podem impactar na sua carreira e nos seus investimentos. 

Penso na Web 3.0 como a próxima brecha na história para negócios lucrativos nascerem ou se reinventarem. Dada essa importância esperada, vamos compartilhar aqui algumas dicas para formar profissionais nesse novo mercado, que oferece melhores vagas e melhores salários a cada dia.

Seguiremos a metodologia que comentei na semana anterior. 

70% do tempo dedicado a explorar, errar, e pesquisar muito a respeito. Nós podemos ajudá-lo nisso com uma metodologia colaborativa e mão na massa.

20% do tempo usando os grandes exemplos da história como fontes de aprendizado; exemplo: como Jeff Bezos transformou uma ideia simples (vender livros pela internet) na Amazon?

10% do tempo bebendo de uma curadoria de conteúdo assertiva e de qualidade, que oferece o embasamento teórico necessário à prática.

Se você deseja saber mais detalhes, acesse este caminho.

Um abraço.