Empiricus Educação

ELET: UM BELO DESTINO PARA O SEU FGTS

“encial entender sobre a atuação da empresa e a dinâmica do setor de energia elétrica, bem como conhecer seus principais indicadores financeiros e sua gestão. […]”.

Compartilhar artigo
Data de publicação
3 de junho de 2022
Estratégia de Mercado
Fonte: FreePik

Um dos principais assuntos que movimentaram a semana foi o processo de privatização da Eletrobras (ELET6). Nele, os brasileiros poderão usar até 50% dos saldos do FGTS na compra de ações da companhia

Antes de tomar essa decisão, é essencial entender sobre a atuação da empresa e a dinâmica do setor de energia elétrica, bem como conhecer seus principais indicadores financeiros e sua gestão. 

E existem outros pontos que investidores como você devem ficar atentos para não incorrerem em riscos desnecessários. 

Por isso, estamos oferecendo um relatório gratuito sobre Eletrobras, preparado por Ruy Hungria, que é um dos analistas da casa. 

O raio X da Eletrobras e regras em jogo

No relatório você encontrará informações completas e detalhadas, mas eu gostaria de dar aqui para você uma visão geral do histórico da companhia e sobre as regras de utilização do FGTS. 

A Eletrobras é a maior companhia do setor elétrico do país, representando cerca de 30% de toda a geração de energia e 40% de todos os ativos de transmissão. 

Em um passado não muito distante, entre 2012 e 2015, a companhia enfrentou problemas, pois possuía algumas distribuidoras e SPEs (sociedades de propósitos específicos) deficitárias. 

Somado a isso, a medida provisória 579, editada no final de 2012 no governo de Dilma Rousseff, um artifício usado para reduzir o preço da energia, causou uma queda de 30% em suas receitas, prejudicando seus resultados. O prejuízo acumulado nesse período chegou a R$ 31 bilhões.

Mas a partir da entrada de Wilson Ferreira Júnior no comando da Eletrobras em 2016, no governo de Michel Temer, houve um turnaroud

Ele vendeu ativos deficitários, reduziu o quadro de funcionários e colocou em prática um plano de controle de despesas. Com isso, a alavancagem caiu – o indicador dívida líquida/Ebitda passou de 8,7 vezes para 2 vezes, e a companhia voltou a ter lucro. 

Com o dinheiro da privatização, a Eletrobras poderá recomprar os direitos de vender energia a preço de mercado e ainda contará com maior agilidade na tomada de decisões e realização de investimentos para se tornar mais eficiente e crescer. Isso pode levar a um retorno maior no médio e longo prazo. 

Quanto ao valuation, hoje a ELET6 está muito barata na Bolsa, aquém de outros players do setor. Assim sendo, há potencial de valorização. 

Por outro lado, o FGTS é corrigido a 3% mais TR (taxa referencial) ao ano. Como a TR atual é zero, são somente 3% ao ano. Portanto, a Eletrobras pode entregar mais do que isso no médio e longo prazo. 

Mas aí é preciso estar ciente sobre regras envolvendo o uso desse recurso para fazer um planejamento assertivo. 

Ao comprar ELET6 com o FGTS, será obrigatório manter as ações por, no mínimo, 12 meses. Após esse prazo, as vendas serão liberadas, mas o dinheiro terá que voltar para a conta do FGTS na Caixa. E, então, o saque só poderá ser efetuado nas condições previstas na lei como compra da casa própria, demissão sem justa causa ou aposentadoria, entre outras. 

ACESSE AGORA NOSSO RELATÓRIO SOBRE ELETROBRAS

Um abraço,