Chama o Max

Quais são os tipos de proventos? Saiba tudo nesse Chama o Max!

Você gostaria de ter renda extra? Max Bohm, analista da Empiricus, explica quais são os diferentes tipos de proventos recebidos por um acionista. Confira agora!

Compartilhar artigo
Data de publicação
3 de agosto de 2021
Categoria
Chama o Max

Imagina viver com renda extra pingando na sua conta periodicamente? É o que muitos brasileiros desejam. 

Fique sabendo que para quem investe em algumas ações, essa é uma felicidade quase constante. O motivo disso é simples: proventos. 

Max Bohm, analista da Empiricus, descomplica o assunto para você. Saiba agora tudo sobre o assunto e como receber essa grana extra em sua conta.

O que são proventos?

Os proventos são uma remuneração para quem é acionista de alguma empresa ou cotista de algum fundo imobiliário negociado na Bolsa de Valores. Trata-se de um estímulo oferecido aos acionistas para que continuem investindo no ativo.

Esse valor vem do lucro da companhia. Por isso, a empresa somente distribuirá proventos caso obtenha algum lucro.

Os proventos não seguem um cronograma fixo. O pagamento varia por empresa, podendo ser feito mensalmente, semestralmente e até anualmente. Mas quanto maior e mais consolidada é a empresa, maior tende a ser o pagamento de proventos em geral.

Convido você a conhecer a série da Empiricus, As Melhores Ações da Bolsa, onde o próprio Max Bohm analisa e sugere ações que costumam pagar excelentes proventos de diversos tipos.

Mas importante dizer que existem diferentes formas de uma empresa remunerar os acionistas, podendo se dividir na forma em que o investidor é remunerado:

Dinheiro direto na conta

Esses são pagos diretamente na conta da corretora do investidor. O investidor recebe em renda líquida e pode escolher reinvestir ou usar como desejar. Entre eles, existem dois principais:

Dividendos

Um dos mais conhecidos pelos investidores. Os dividendos estão entre os proventos pagos em dinheiro. Eles são recebidos diretamente na conta da sua corretora.

A empresa pagadora pré-estabelece em seu estatuto qual a porcentagem que irá pagar de dividendos. A porcentagem definida representa quanto do lucro líquido anual da empresa vai ser destinado aos acionistas.

Normalmente, as empresas que têm muito crescimento, precisam de caixa, pois costumam reinvestir grande parte de seu lucro nelas mesmas. Por isso, são as que pagam uma porcentagem mais baixa, próxima da faixa obrigatória por lei, de 25%

As grandes empresas geradoras consistentes de caixa costumam pagar polpudos dividendos. Algumas dessas empresas são as sugeridas na série As Melhores Ações da Bolsa.

Os fundos imobiliários são um tipo de investimentos conhecidos por pagar bastante dividendos. Pela legislação os FIIs precisam pagar aos seus cotistas o máximo possível de seu lucro. Neste caso, os dividendos são isentos de imposto de renda

Juros sobre capital próprio (JCP)

São juros pagos pelos empréstimos de recursos dos sócios. Basicamente, a empresa considera o acionista como um credor e remunera essa “dívida” com uma taxa de juros.

Essa taxa é calculada pela multiplicação do patrimônio líquido com a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP). O resultado da conta delimita o máximo que a empresa pode distribuir de JCP.

Outro diferencial é que essa forma de provento garante um benefício fiscal para a empresa. O JPC é descontado do lucro operacional, antes do lucro líquido.

Por esse motivo, esse valor pode ser contabilizado como despesa financeira e é deduzido do Imposto de Renda da empresa pagante. 

O dinheiro também direto em sua conta. Esse provento não é isento de Imposto de Renda, entretanto é pago na fonte, ou seja, o dinheiro já cai líquido do imposto de renda.

A nova reforma tributária também está prevendo o fim do JPC. Algo que pode fazer com que haja mais reinvestimentos por parte das empresas.

Dinheiro em forma de ações

Esse tipo de provento é pago pelas empresas em forma de ações, ou seja, é uma recompensa por investir em que é concedida mais ativos dela mesmo.

Direito de subscrição

Acontece quando a empresa emite novas ações e presenteia os acionistas com o direito de comprá-las antes. Muitas vezes por um preço abaixo do valor de mercado.

É possível negociar esse direito na Bolsa. A razão disso, é que o provento em si seria esse “privilégio” dos acionistas perante os demais investidores que não possuem ação daquela empresa em específico.

Dependendo da ocasião é interessante exercer esse direito de compra e aumentar o aporte naquela empresa.

Bonificação

Nesse caso a empresa também emite novas ações, mas, diferente do direito de subscrição, o acionista recebe a ação e não o direito de compra-lá.

Essas ações podem ser negociadas na Bolsa, e também podem ser mantidas. Dependendo apenas da decisão do acionista que recebeu.

Convido você a começar a receber esses diferentes tipos de proventos, agora na prática.

Na série da Empiricus, As Melhores Ações da Bolsa, o analista Max Bohm tem o objetivo de recomendar as ações com maior potencial de valorização.

O foco da série são empresas maiores, portanto a porcentagem de pagamento dessas rendas extras aos acionistas costumam ser maiores. Saiba mais clicando aqui.