Empiricus Play

NFTs: entenda como essa tecnologia pode mudar o mundo digital como conhecemos

De forma clara e fácil, o analista de criptoativos da Empiricus Valter Rebêlo explica o que são NFTs e o potencial desse mercado; assista ao vídeo e fique por dentro.

Compartilhar artigo
Data de publicação
4 de fevereiro de 2022
Categoria
Empiricus Play

Com o avanço da digitalização, o ambiente virtual tornou-se de suma importância no dia-a-dia das pessoas, seja para compras on-line, relacionamentos com amigos nas redes, trocas de mensagens instantâneas, videoconferências de trabalho, ou ainda, para o acesso a canais de streaming.

De olho nessa tendência, são criadas inúmeras soluções tecnológicas com o foco em capturar ganhos sobre a experiência do usuário no mundo virtual. E os NFTs se consagraram como uma delas.

A sigla que significa non-fungibles tokens, ou em tradução livre, tokens não fungíveis, são certificados de autenticidade para itens virtuais exclusivos, ou até mesmo únicos. Esses tokens podem certificar a posse sobre um terreno, ou até mesmo sobre uma arte virtual, ou seja, sobre uma gama de arquivos digitais.

“Quando falamos de NFTs, eu falo justamente dessa propriedade de diferenciação, de unicidade, de algo ser único,” pontua o analista de criptoativos da Empiricus, Valter Rebêlo, no vídeo.

 

Os NFTs conquistaram até o astro Neymar Júnior do PSG

Os NFTs representam um nicho da internet que vem conquistando cada vez mais espaço entre os internautas e que já movimenta bilhões em vendas. Segundo a empresa DappRadar, as vendas digitais envolvendo NFTs atingiram cerca de US$ 25 bilhões em 2021. 

No noticiário doméstico, a compra de um NFT realizada recentemente pelo astro de futebol Neymar Júnior chamou a atenção. O jogador desembolsou o equivalente a R$ 6,2 milhões para compra de uma arte da coleção Bored Ape Yacht Club (BAYC), um dos tokens mais valiosos desse mercado.

O colecionável é a imagem de um primata entediado, mas muito mais que isso, ele representa um “passaporte exclusivo” para o clube de famosos BAYC. Dentre os membros desse clube, estão o cantor Justin Bieber, o apresentador Jimmy Fallon e o rapper Eminem.

A diferença entre os NFTs e uma captura de tela:

Rebêlo pontua que diferentemente do que se pensa, se uma pessoa fizer uma captura de tela do NFT do Neymar, ela não se torna dono desse token. 

“É compreensível essa intuição. Mas pensando nessa mesma linha, suponhamos que eu esteja andando pela cidade de São Paulo e eu veja uma casa bem bonita. Se eu tirar uma selfie em frente a casa e postar no Instagram, dizendo que a casa é minha, isso não a torna de fato minha,” exemplifica o analista. 

Ele explica que assim como esta casa tem um documento que comprova a posse de propriedade, os NFTs também têm esse tipo de documento. A única diferença é que, enquanto o registro de propriedade da residência é emitido pelo cartório, o certificado de propriedade de um NFT é emitido pela blockchain, uma espécie de cartório virtual.

Por que os NFTs são uma tendência?

No vídeo, Rebêlo pontua que o potencial dos NFTs está na relação entre produtores e consumidores, criada a partir dessa tecnologia, a qual conta com a legitimidade de posse digital como um diferencial.

Para o analista, os NFTs afetam drasticamente a indústria de artes, games, eventos, entre outras. Como exemplo, na indústria de games, os jogadores conseguem investir capital e tempo desenvolvendo portfólios de ativos dentro dos seus jogos prediletos, somado a possibilidade de negociar esses tokens por meio de uma rede de blockchains, como a ethereum.

Ou seja, por meio da estrutura básica dos NFTs, os internautas observam mudanças em suas relações, sejam elas comerciais, ou não. “Na medida em que começamos a falar de mundos virtuais, ou seja os “metaversos”, veremos este conceito de ativos digitais possibilitados pelas NFTs, se expandirem e tomarem formas que não podíamos ter previsto antes,” finaliza o analista.