Times
Investimentos

Por que é impossível ignorar a rentabilidade dos fundos de crédito neste momento?

Estamos falando de portfólios de fundos de crédito com remuneração acima de IPCA+8% ao ano quando marcados a mercado; entenda

Compartilhar artigo
Data de publicação
6 de dezembro de 2023
Categoria
Investimentos
Imagem representando o fundo de crédito, uma modalidade de Fundo de Investimento que investe em títulos de Renda Fixa emitidos por empresas privadas ou securitizadoras
Fundo de Crédito

Em média, os fundos de crédito imobiliário sofreram queda de 0,2% em novembro. Em um cenário de descompressão de risco, é natural que os fundos de tijolos superem os setores mais conservadores, incluindo o crédito imobiliário. No entanto, em teoria, a diluição do estresse não é prejudicial para o crédito. Pelo contrário, há uma tendência de valorização.

Resumidamente, com o arrefecimento da curva de juros, o fundo tende a se beneficiar com o movimento de marcação a mercado de seus títulos privados. Contudo, verificamos um movimento atípico nos últimos 60 dias, com os fundos caindo neste princípio de cenário favorável.

Peguemos o exemplo do Kinea Indices de Precos (KNIP11). Por ter uma carteira de CRIs exclusivamente IPCA+, a cota do fundo registra correlação próxima de 90% com os títulos públicos indexados à inflação (NTN-Bs). Note que, no gráfico abaixo (esquerda), a performance do fundo tem um padrão próximo dos títulos desde o início. O retorno acima dos pares é justificado pelo prêmio de risco e pela capacidade da gestão, além do benefício tributário e outros pontos estruturais. Porém, desde outubro, as NTNBs de 3 e 5 anos de vencimento valorizaram quase 2%, enquanto o KNIP11 caiu cerca de 1% (gráfico da direta).

Interface gráfica do usuário, GráficoDescrição gerada automaticamente

É claro que se trata de uma janela curta e não necessariamente ilustra uma oportunidade técnica. Lembrando que as condições de crédito no Brasil continuam desafiadoras. Entre os movimentos que podem justificar essa discrepância, a perspectiva de inflação controlada deve manter os rendimentos de curto prazo dos FIIs em níveis menores se comparados aos últimos anos.

De todo modo, é impossível ignorar a rentabilidade dos fundos de crédito neste momento. Estamos falando de portfólios com remuneração acima de IPCA+8% ao ano quando marcados a mercado. Isso implica em um spread superior a 250 bps em comparação com os títulos públicos, sem considerar o efeito da isenção de imposto dos fundos imobiliários.

FundoTaxa Média MTM (IPCA+)Spread (NTN-B 5Y)
KNIP118,4%2,71%
KNSC117,9%2,23%
MCCI117,1%1,52%
RBRR118,1%2,46%
HGCR118,2%2,56%
Fonte: Empiricus, FIIs e Bloomberg. Considera apenas a tranche IPCA+ dos fundos. Taxas já descontadas da taxa de administração.

Quando olhamos para o histórico high grade, enxergamos um spread médio de 50 a 150 bps, a depender da estratégia/produto.

Em um cenário de conversão para a média, este momento seria propício para montagem de posição nestes fundos.

Inclusive, neste relatório gratuito, apresentamos 5 FIIs nos quais vale a pena investir ainda em dezembro para ter a chance de capturar o momento propício da indústria.