Times
Mercado

Fundo de ações: vale a pena investir? Saiba como funciona esse tipo de fundo

Um fundo de ações (FIA) é um tipo de fundo que tem sua carteira composta, em sua maioria, por ações de empresas. Saiba mais como um fundo de ações funciona.

Por Equipe Empiricus

16 de fevereiro de 2023, 09:56

Imagem representando um fundo de ações, mostrando uma tela com gráficos e cotações de ações.

Um fundo de ações é a resposta para quem deseja investir em várias empresas ao mesmo tempo e sem ter preocupações com diversas burocracias envolvidas. Além disso, é uma ótima opção de investimento em renda variável.

O que são fundos de ações?

Os fundos de ações (FIAs) são fundos que investem em papéis de empresas. Estes fundos conseguem uma variedade de exposição em empresas que podem se concentrar em um ou vários setores, de diversos tamanhos e estilos de investimentos.

Eles estão geralmente disponíveis por meio de certificados de depósito negociáveis, fundos mútuos ou como ferramentas de investimento separadas.

Estes investimentos podem ter alto risco e retorno, portanto, é importante compreender a volatilidade antes de fazer qualquer aporte.

Eles são uma opção para que você não precise investir nas empresas uma a uma e por conta própria. Pois, nesse caso, quem toma as decisões sobre o que comprar e vender é um gestor profissional.

Então, essa é uma ótima possibilidade para quem quer entrar no mercado financeiro de maneira ampla e menos burocrática.

Como funcionam os fundos de ações?

Fundos de ações são investimentos em carteiras de ações gerenciadas por profissionais, que são comumente constituídos por uma variedade de títulos, como ações ordinárias (ON), ações preferenciais (PN), ADRs (American Depositary Receipts – Recibos de Depósito Americanos) e ETFs (Exchange Traded Funds – Fundos Negociados em Bolsa).

Os ativos incluídos num fundo são diversificados a fim de reduzir o risco; o investimento pode ainda ser alavancado para aumentar o potencial de retorno.

O que são fundos de administração passiva?

Fundos de ações passivas são fundos de investimento que tentam reproduzir o desempenho de um índice de ações, geralmente um índice de mercado amplo.

Não é tão indicado para investidores iniciantes, pois possuem alto risco devido à alta volatilidade do mercado de ações.

O que são fundos de administração ativa?

Fundos de ações ativos são investimentos que buscam uma base em uma determinada estratégia de gestão de ativos.

Esta estratégia inclui a compra, venda, indexação e outras formas de gestão. Esses fundos usam técnicas avançadas, como análise fundamental, técnicas quantitativas, análise técnica, ou comparação com índices para detectar oportunidades de investimento.

Assim, esses fundos podem oferecer maior retorno potencial do que outros tipos de investimentos de ações passivos.

Como investir em fundos de ações?

1. Faça uma pesquisa para encontrar a melhor opção de fundo que se adequa ao seu perfil de investidor. Diversos critérios devem ser considerados, como o volume de dinheiro para investir, o retorno esperado ou o nível de risco aceitável. Recomenda-se procurar a opinião de uma corretora de valores.

2. É necessário escolher um banco ou corretora para realizar a compra e venda das ações no fundo de investimento.

3. Para abrir uma conta na corretora ou banco, é preciso fornecer documentação, como seu CPF e comprovante de residência, bem como preencher um formulário de cadastro contendo seus dados bancários. Haverá custos, como taxas para operações e custos administrativos.

4. Depois de abrir a conta, é possível comprar cotas do fundo desejado. Dependendo da corretora, é possível comprar e encerrar a operação no mesmo dia.

Quais são os custos?

Os custos principais para investir em fundos de ações são as taxas de administração e gestão.

Essas taxas podem variar, dependendo do banco ou gestor do fundo, mas costumam ficar em torno de 1% a 3% ao ano.

Além disso, também é cobrada uma taxa de entrada em alguns casos (geralmente de 0,5% a 3%), bem como taxas de saída (de 0,15% a 0,5%).

É importante lembrar que os investidores também estão sujeitos às taxas de corretagem cobradas pelo corretor de valores. Outros custos podem incluir tributos sobre os ganhos de capital e tributos sobre dividendos.

Quais são os rendimentos?

Os rendimentos de um fundo de ações dependem da qualidade e do desempenho dos ativos subjacentes que detêm.

Estes fundos buscam obter a maior rentabilidade possível ao reinvestir os dividendos distribuídos pelas empresas cujas ações compõem o portfólio do fundo.

Esta rentabilidade pode variar de acordo com o mercado, tornando os fundos de ações mais arriscados do que o comum. Alguns fundos são mais conservadores e alocam seus recursos em ativos mais seguros; outros são mais agressivos e apostam em setores de alto risco.

No entanto, de maneira geral, os rendimentos dos fundos de ações tendem a superar os rendimentos obtidos por outros investimentos, como fundos garantidos ou fundos de títulos públicos.

Quais os principais tipos de fundos de ações?

A depender da natureza dos investimentos, podemos classificar esses fundos de diversas formas. Veja algumas:

Fundos de dividendos

Fundos de dividendos são uma classe específica de fundos mútuos ou ETFs (sigla em inglês para Fundos Negociáveis em Bolsa) que investem principalmente em ações que pagam dividendos regulares.

Os fundos buscam aproveitar as taxas de retorno geradas pelas empresas pagando o desempenho de dividendos delas. Estes dividendos em dinheiro são distribuídos periodicamente aos detentores de cotas do fundo. O objetivo destes fundos de dividendos é gerar rendimento, não valorização.

Small caps

Fundos de small caps são fundos mútuos que investem principalmente em ações de pequena capitalização, ou seja, ações de companhias com capitalização de mercado baixa.

Esses fundos acompanham a performance da carteira composta pelas principais ações pequenas e mid-caps listadas na bolsa de valores.

Eles normalmente oferecem um melhor retorno que os grandes índices devido às maiores potencialidades de crescimento. Por outro lado, fundos de small caps têm mais riscos que os de large caps, pois investem em empresas menores que podem ter mais problemas de governança corporativa, liquidez ou alavancagem excessiva.

Fundos setoriais

Fundos setoriais são veículos de investimento que agrupam recursos de curto ou longo prazo de vários ativos de determinados setores da economia.

Esses fundos são destinados a aplicações nos setores específicos selecionados, e podem variar de acordo com as metas e as perspectivas de cada investidor.

Como esses fundos se concentram nos setores definidos, eles oferecem aos investidores uma maior diversificação, dado que eles podem se concentrar em mais de um setor em particular.

Os setores em questão podem incluir energia, tecnologia, mineração, manufatura, imobiliário, farmacêutico, alimentício, transporte e muito mais.

Quais as vantagens desse tipo de investimento?

1. Diversificação de investimento: Investir em fundos de ações permite que você alcance diversos níveis de exposição ao mercado ao mesmo tempo.

2. Participação em grandes empresas: Com apenas uma pequena quantia, você tem a oportunidade de participar das empresas grandes e reconhecidas.

3. Retornos potencialmente maiores: Ao contrário de alguns títulos de renda fixa, o potencial de retornos nos fundos de ações é muito maior.

4. Menor quantidade para começar: Os investimentos em fundos de ações costumam requerer uma quantidade mínima muito menor, que também pode render retornos muito maiores.

5. Custo relativamente baixo: Os custos geralmente associados à aquisição de ações são muito mais baixos do que se você comprasse individualmente.

6. Especialistas ao seu alcance: Ao investir em fundos, você passa a ter um especialista à sua disposição para auxiliar e apontar os melhores caminhos.

Quais as desvantagens?

1. Volatilidade: Investir em fundos de ações pode apresentar riscos significativos devido à flutuação dos preços das ações. Isso pode levar a grandes perdas a curto prazo.

2. Direção geral do mercado de ações: O desempenho de um fundo de ações é normalmente influenciado pela direção geral do mercado de ações. Se o mercado de ações diminuir, sua carteira também diminuirá.

3. Dependência do gestor: Seu desempenho de investimento como um fundo é fortemente dependente da habilidade do gestor de executar. Se houver escolhas incorretas de investimentos, isso naturalmente resultará em maus resultados.

Vale a pena investir em fundos de ações?

Sim, investir em fundos de ações pode ser uma ótima opção para quem deseja diversificar seu portfólio de investimentos.

Um fundo de ações possibilita ao investidor a exposição ao mercado de ações, com relativa facilidade e menor custo do que um investimento direto na compra de ações.

Além disso, possuem ótimos retornos e são bastante líquidos, podendo ser realizados da maneira mais simples possível. No entanto, é importante sempre ter um acompanhamento cuidadoso de seus investimentos e entender a dinâmica do mercado de ações antes de investir nesse tipo de fundo.

  • As 10 “top picks” da Empiricus Research: veja quais são os dez papéis recomendados pelos analistas da casa para buscar lucros na bolsa. Baixe aqui o relatório gratuito.

Como escolher uma boa corretora?

A escolha de uma boa corretora de valores deve basear-se principalmente nos seguintes fatores:

1. Experiência: é importante escolher uma corretora que tenha experiência comprovada de longa data no mercado de investimentos.

2. Nível de atendimento: o tipo de atendimento oferecido pela corretora é essencial para garantir que as necessidades do investidor sejam devidamente atendidas. O investidor deve considerar os serviços oferecidos, o nível de suporte ao cliente, bem como o acesso a especialistas e consultores financeiros.

3. Taxas cobradas: a taxa cobrada pela corretora influenciará a rentabilidade do investimento. A corretora deve oferecer taxas razoáveis e transparentes.

4. Reputação: é importante escolher uma corretora com uma boa reputação, pois ela tem uma responsabilidade moral com seus clientes. Uma boa maneira de avaliar a reputação é verificando o feedback dos clientes atuais ou anteriores.

5. Tecnologia: é imprescindível escolher uma corretora que ofereça ferramentas de negociação seguras, intuitivas e atualizadas. Além disso, ela deve oferecer excelentes recursos para monitorar o desempenho de investimentos.

Com essas dicas, você tem a base necessária para iniciar seus primeiros passos com um fundo de ações.

Sobre o autor

Equipe Empiricus

A maior equipe de análise de investimentos do Brasil, 100% dedicada a te ajudar a encontrar as melhores oportunidades de investimento.