Times
Mercado

Mercado futuro: saiba o que é e como realizar operações com contratos futuros

O mercado futuro é um ambiente onde se negociam contratos de derivativos com liquidação futura. Saiba melhor como o mercado futuro funciona e como operar nele.

Por Equipe Empiricus

31 de janeiro de 2023, 23:46

O mercado futuro é um ambiente da bolsa dedicado à compra e venda de ativos com vencimento em datas futuras. Estratégia tradicional entre hedgers e investidores de perfil arrojado, ele desponta como uma alternativa interessante para quem busca o lucro.

Operando por meio de derivativos, o mercado futuro permite a negociação de contratos de dólar, índices e até commodities.

O que é mercado futuro?

Como o próprio nome sugere, o mercado futuro trata contratos de derivativos com liquidação futura. Isso significa dizer que, ao negociar um bem desse tipo, você opera com base no preço presente, mas com foco em uma data futura previamente combinada.

Esse tipo de investimento é recomendado para quem deseja especular sobre o preço de um ativo, ou mesmo para os investidores que procuram se proteger das oscilações – estratégia denominada de hedge.

O mercado futuro oferece uma boa margem de lucro dependendo do segmento ao qual você investir. Porém, assim como outras formas de investimento, essa também é considerada de alto risco, uma vez que o preço dos bens pode subir ou baixar conforme a lei da oferta e procura.

Há diversas frentes que podem ser negociadas por meio desse tipo de operação, como a compra de commodities (soja, café e milho), dólar e mini índices. Na Bolsa de Valores Brasileira, a B3, por exemplo, é possível comercializar contratos futuros de soja, seja com a intenção de comprar ou vender em uma data preestabelecida.

O preço de cada contrato é calculado com base na expectativa do mercado até a data do vencimento.

  • As 10 “top picks” da Empiricus Research: veja quais são os dez papéis recomendados pelos analistas da casa para buscar lucros na bolsa. Baixe aqui o relatório gratuito.

Como funciona o mercado futuro?

O mercado futuro tem características próprias quando comparado a outros segmentos da bolsa brasileira. A principal delas é o fato de só ser negociado nesse ambiente, além de ter regras distintas quanto ao prazo de vencimento e às condições de liquidação. Entenda como ele funciona na prática:

Código dos contratos futuros

O primeiro passo para compreender esse mercado é se atentar para o código dos ativos. Como as operações do mercado futuro são feitas por meio do home broker, é preciso conhecer as cifras para identificar o produto que melhor se encaixa na sua estratégia de investimento.

Cada produto é identificado por um código de 3 letras, seguido do mês de vencimento e do ano de vencimento. Alguns dos principais códigos são representados da seguinte forma:

ProdutoCódigo
Boi GordoBGI
Café ArábicaICF
MilhoCCM
DólarDOL
Mini DólarWDO
Mini índiceWIN
IbovespaIND
Índice S&P 500ISP

Vencimento dos contratos futuros

Os vencimentos também são definidos por códigos, que se dividem entre produtos com prazo entre um dia e vários meses. São eles:

MêsCódigo
JaneiroF
FevereiroG
MarçoH
AbrilJ
MaioK
JunhoM
JulhoN
AgostoQ
SetembroU
OutubroV
NovembroX
DezembroZ

Após compreender a disposição do código de validação e o seu prazo de vencimento, fica mais fácil encontrar o ativo de sua preferência. Se você deseja investir em Boi Gordo com vencimento para dezembro de 2022, por exemplo, basta buscar pelo código BGIZ22.

Liquidação física e financeira

O mercado futuro tem duas formas de liquidação: a física e a financeira. Isso significa que, ao investir em um produto deste segmento, o investidor deve escolher de que forma receberá os recursos após o prazo de vencimento. Os vendedores também devem cumprir obrigações contratuais após o fechamento do contrato.

Os dois tipos de liquidação são padronizados da seguinte forma:

  • Liquidação física: a entrega do bem é feita na data de vencimento do contrato, de maneira física. Assim, comprador e vendedor devem negociar os termos e garantias antes de confirmar a operação;
  • Liquidação financeira: a entrega dos recursos é feita de maneira online após o cálculo da diferença financeira entre o valor de compra e o valor de venda. O acerto é feito à vista, sem a necessidade de entrega do ativo físico.

Ajuste diário

Outra particularidade do mercado futuro é o seu sistema de apuração de ganhos e perdas, que permite avaliar a melhor forma de manter as posições competitivas. O ajuste diário mantém o preço atualizado de acordo com as expectativas do mercado, e oferece uma visualização mais clara para o investidor sobre os rumos do investimento.

Dessa forma, caso haja uma queda brusca do preço, é possível se planejar para reajustar as posições a fim de recuperar o prejuízo. O mesmo vale para o caminho contrário, caso o investidor aposte na queda de um ativo e ele sofra ajustes positivos. Esse ajuste diário é o que diferencia os contratos futuros de outros derivativos, como os contratos a termo.

Para o que os investidores utilizam o mercado futuro?

O mercado futuro pode ser utilizado para diferentes finalidades, desde operações de hedge (para proteger os ativos) até arbitragem e estratégias de especulação. Entenda como funciona cada uma dessas modalidades:

Hedge

Os contratos futuros são uma boa tática para quem deseja reduzir os impactos das oscilações do mercado. Isso porque, ao fixar o preço de um ativo para uma data futura, o investidor “congela” a oscilação e se protege contra uma eventual queda na hora de vender.

O hedge é utilizado por investidores interessados mais em evitar perdas do que correr o risco com o objetivo de lucrar. Um bom exemplo de cliente desse ramo são as empresas com dívidas em dólar – já que a cotação da moeda pode afetar diretamente a quitação dos débitos.

É o que se chama de hedge. Quem faz um hedge está menos preocupado em lucrar com as operações, e mais interessado em evitar perdas.

As empresas brasileiras que possuem dívidas em dólar, por exemplo, estão sempre expostas ao risco do câmbio. Se, em determinado momento, a cotação da moeda sobe, essas dívidas encarecem. Nessa situação, as empresas precisam despender mais reais para quitar os débitos.

Arbitragem

Já o método de arbitragem consiste em comprar um ativo mais barato para revendê-lo mais caro em outro mercado. Esse mecanismo é utilizado para explorar a discrepância de preços de um bem em outros frentes.

No mercado futuro, é comum que essa jogada seja feita com índices de dólar e mini dólar, a fim de se beneficiar das oscilações para angariar um bom lucro.

Especulação

Por fim, a especulação é uma das principais estratégias do mercado futuro, e vai na contramão do hedge. Nessa operação, o investidor aposta no curto prazo, com o objetivo de lucrar com pequenas oscilações positivas.

A compra de derivativos por meio de day trade é um dos exemplos mais comuns. As apurações são feitas em um mesmo dia, ao final do pregão. Há ainda a possibilidade de realizar negociações mais longas, que podem durar até uma semana.

Principais contratos negociados do mercado futuro

Existem diferentes frentes para se investir no mercado futuro, com opções para commodities, moedas fiduciárias e índices específicos. A bolsa brasileira oferece diversas modalidades de contratos futuros, com prazos e liquidações variadas. Esses são alguns dos produtos desse meio:

  • Índice Bovespa: principal indicador de desempenho da bolsa, tem mais de 60 papéis listados no mercado futuro;
  • Dólar: um dos principais contratos do mercado futuro, atrai investidores que desejam ganhar dinheiro investindo na moeda mais forte da economia mundial;
  • Boi Gordo: o BGI é a principal commodity brasileira, uma vez que o país está na lista dos maiores exportadores de carne bovina;
  • Índice S&P500: maior que o Índice Bovespa, oferece a possibilidade de aporte nas 500 maiores empresas americanas.

Vantagens e desvantagens do mercado futuro

Como é possível observar, o mercado futuro é uma boa oportunidade para vários cenários – seja com de se proteger dos movimentos de mercado, seja para lucrar.

Adorado pelos traders, os contratos futuros são uma das principais estratégias de ganho em curto prazo do mercado, já que são modalidades mais agressivas. Um fator motivador importante é a dispensa de pagamento à vista, afinal é possível negociar com uma “margem” de garantia.

Além disso, os contratos desse mercado são bidirecionais: você pode operar vendido ou comprado, a depender do seu planejamento. Ainda assim, vale lembrar que trata-se de um segmento de alto risco, uma vez que é negociado em bolsa e depende da lei da oferta e da procura.

Como investir no mercado futuro?

Para investir no mercado futuro, é importante que você procure por uma boa corretora de valores, além de analisar os dados de mercado e o cenário macroeconômico. Assim como ocorre no mercado de ações, é por meio dessas plataformas que você acessa o home broker e realiza a negociação.

Antes de abrir conta em uma corretora, verifique o histórico de avaliações e as certificações de segurança da empresa, além de aspectos como taxas e layout do site. Depois basta criar um cadastro e transferir o montante necessário para começar a operar.

O mercado futuro oferece possibilidades para várias frentes, mas ainda é preciso estudar os produtos e definir uma estratégia de investimento que melhor se encaixa no seu perfil de investidor e nos seus objetivos a longo prazo.

Sobre o autor

Equipe Empiricus

A maior equipe de análise de investimentos do Brasil, 100% dedicada a te ajudar a encontrar as melhores oportunidades de investimento.