Empiricus Play

Entenda hoje o que é previdência privada; receita federal pode dar ‘cashback’ em fundo da modalidade

Analista da Empiricus fala sobre as vantagens da aposentadoria privada e oferece uma planilha de simulação de previdência

Compartilhar artigo
Data de publicação
23 de dezembro de 2021
Categoria
Empiricus Play

Fim de ano à porta e você já deve estar traçando os seus planos de investimentos para 2022. Mas você sabia que ainda pode buscar ganhos futuros aportando em PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) nesta reta final de 2021?

Você já deve ter entendido que o vídeo trata de previdência privada.

Isso mesmo, aquela que é a previdência para autônomos — sejam eles os investidores, empreendedores ou profissionais liberais — e para os contribuintes do INSS que buscam complementar a aposentadoria no futuro.

Mas o que não te contaram é que a Receita Federal dará um “Cashback” oficial para aqueles que fizerem uma previdência privada do tipo PGBL.

Como? Com o abatimento do valor aportado em algum fundo de previdência desse tipo sobre o valor do IR (Imposto de Renda). Isso significa que ao aplicar uma parte de seus ganhos em um plano de previdência PGBL, você tem garantido a restituição desse valor na hora da declaração do IR. 

Mas atenção, pois o limite da dedução no IR, segundo regra da Receita Federal no PGBL, é de até 12% sobre a sua renda tributável anualmente. Ou seja, se você ganha R$ 100 mil ao ano, poderá deduzir do imposto R$ 12 mil ou reavê-los em forma de restituição na hora da declaração do IR. 

Além disso, os brasileiros adeptos desse tipo de previdência tem que atender alguns quesitos: optar pelo modelo de declaração completa do IR e ser contribuinte do INSS.

Diferentemente do VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) que não conta com esse benefício fiscal, já que a declaração do IR é sobre o valor total recebido anualmente. Em outras palavras, ele é indicado para os brasileiros que fazem a declaração simplificada do imposto de renda.

Tributação regressiva e progressiva: Como escolher?

O brasileiro que optar pela previdência privada também terá que lidar com a escolha do regime de tributação conforme o seu perfil. No caso, existem dois modelos: o regressivo e a progressivo

No primeiro, o valor da alíquota do IR diminui conforme o tempo entre a data da contribuição e a data do resgate. Sendo calculada inicialmente em 35% e diminuindo a cada 2 anos em 5%. Ou seja, em 10 anos, você poderá pagar até 10% no imposto de renda.

No segundo, a tributação varia de 0% a 27,5% conforme o valor da contribuição na previdência privada. Ela é descontada mensalmente na sua folha salarial e, além disso, no futuro, quando você for resgatar o seu plano de previdência, a tabela vigente incidirá sobre o valor do resgate. 

Agora fica a dúvida: Todos podem optar pelo fundo de previdência privada?

Embora possa parecer que o fundo de previdência privada é sinônimo de investimento de autônomos e contribuintes do INSS, tenha a certeza que a previdência privada é para todos os perfis e idades.

Essa reserva é indicada para aqueles que têm planos futuros e que buscam um complemento à aposentadoria pública. 

Por isso, confira o vídeo, além de entender melhor o que é previdência privada, será disponibilizado um bônus: uma planilha para você simular e ver o melhor modelo de declaração de imposto de renda. Assim, você saberá qual a aposentadoria privada que mais combina com o seu perfil.