Casemiro sob um teste de estresse

Com o clima de Copa chegando ao fim, devemos focar agora no certame financeiro, que se torna mais e mais político ao longo das próximas semanas.

Compartilhe:
Casemiro sob um teste de estresse

Somos livres, dotados de livre arbítrio. Desde que paguemos a conta.

Isso significa que, também como investidores, podemos escolher quais interpretações financeiras daremos a cada fato.

Há quem chame Fernandinho de o grande culpado.

Mas talvez – independente de qualquer culpa individual – tínhamos um esquema tático excessivamente dependente de um camisa 5 brilhante, como o Casemiro.

Numa ótica talebiana, o mais correto seria ter testado exaustivamente a fragilidade da equipe, antes de ir para o mata-mata.

De um jeito simples.

Você substitui cada titular em xeque pelo reserva direto, mantendo o esquema tático, e avalia se o time fica mais ou menos frágil.

Na troca de um titular por um reserva direto, o natural é que a fragilidade aumente (de outro modo, teríamos um reserva robusto ou antifrágil, que potencialmente merece a titularidade).

Então partimos para a segunda ordem do teste, substituindo o reserva direto por um reserva indireto (na ausência de outro volante, o Marquinhos, por exemplo).

E aí? Se a piora de fragilidade com Marquinhos fica aquém daquela com o Fernandinho, o técnico entra de Marquinhos no lugar do Casemiro.

De qualquer forma, treino é treino, jogo é jogo, e isso tudo já ficou para 2022.

Com o clima de Copa chegando ao fim, devemos focar agora no certame financeiro, que se torna mais e mais político ao longo das próximas semanas.

1) O habeas corpus plantonista de Lula aumenta o clima de cautela eleitoral no mercado?

2) Ou reduz ainda mais as chances já remotas de um Lula candidato?

Sei lá o que vai acontecer com a Bolsa ou com o dólar hoje. Lá fora, o clima é levemente favorável à tomada de risco.

Para além de uma terça-feira aleatória, fico com a segunda alternativa: o “risco Lula” perde força, melhorando na margem a assimetria das apostas eleitorais bullish.

Depois que o Brasil é eliminado da Copa, dizem que ela perde a graça. Mas, se você realmente gosta de futebol, consegue assistir aos jogos com muito mais leveza e prazer.

Se você gosta de ganhar dinheiro, uma Copa sem graça, sem apoio da torcida – vencida por picolés de chuchu – pode vir a ser extremamente rentável.

Interpretações agnósticas também fazem enriquecer e, às vezes, são as que mais fazem.